Blog

5 curiosidades sobre o óleo diesel

Você sabia que o óleo diesel pode ser utilizado não só para abastecer veículos automotivos, mas também os ferroviários e marítimos? E você sabia também que ele é dividido em algumas categorias tendo como base o seu nível de poluição? Nesta matéria nós reunimos essas e outras curiosidades sobre esse combustível tão importante para o Brasil. Confira:

1- O óleo diesel é o combustível mais utilizado no Brasil

Atualmente, o óleo diesel aparece no topo da lista de combustíveis utilizados no Brasil. De acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o país comercializou 54,772 bilhões de litros de diesel só em 2017. Essa quantidade foi 0,91% maior do que a registrada em 2016. O aumento é atribuído à recuperação econômica do país.

Mas, por que o óleo diesel é o combustível mais utilizado no Brasil? Isso se deve ao fato de ele ser fonte de energia de variados meios de transporte e equipamentos. Ele move, por exemplo, carros, caminhões, máquinas industriais, máquinas de construção, embarcações e trens. O que leva tantos segmentos a utilizar o diesel é, principalmente, o seu desempenho superior quando comparado a outros combustíveis. Ah, além disso tudo, ele também é usado na geração de energia elétrica. 

2 – O óleo diesel é composto por enxofre   

O óleo diesel é obtido a partir do refinamento do petróleo e pode ser produzido a uma temperatura que varia entre 260ºC e 340ºC. Em sua composição robusta, ele contém átomos de carbono, hidrogênio e pequenas quantidades de enxofre, nitrogênio e ainda oxigênio. Todos esses elementos são responsáveis por dar aquele cheiro e cor específicos do combustível.

3 – Óleo diesel pode ser rodoviário ou não rodoviário

De acordo com a regulação da ANP, no Brasil são comercializadas duas categorias de óleos diesel: os de uso rodoviário e os de uso não rodoviário. O primeiro deles é aquele utilizado para abastecer veículos automotivos e máquinas. Ele é dividido em dois tipos: S10 e S500.

O óleo diesel S10 é popularmente conhecido como “Metropolitano”. Esta variedade leva esse nome justamente por ser utilizada em áreas urbanas, onde é preciso ter maior controle da emissões de gases. Isso porque o S10 é menos poluente, já que ele tem uma concentração de enxofre relativamente pequena. Segundo as normas da ANP, o óleo diesel metropolitano deve ter, no máximo, 0,05% de enxofre.  

Já o S500, conhecido como tipo “Interior”, tem uma quantidade máxima de 0,2% de enxofre, ou seja, ele é mais poluente. Vale lembrar ainda que tanto o diesel metropolitano quanto o interior pode ser comercializado na forma comum ou aditivado. Quer saber para que servem os aditivos? Clique aqui para descobrir.

Em relação ao óleo diesel de uso não rodoviário, ele recebe o nome de S1800. Geralmente, esse tipo de combustível é destinado à geração de energia elétrica e aos transportes ferroviários, por exemplo. De acordo com a ANP, existe ainda no Brasil o óleo diesel DMA/DMB. Ele é utilizado, principalmente, no abastecimento de embarcações.

4- Existem regras de armazenamento

O óleo diesel não pode ser armazenado por um longo período, pois ele pode acabar oxidando. Quando isso acontece, o combustível acaba danificando os sistemas de alimentação e injeção, bem como o motor do veículo. A dica, portanto, é não estocar diesel por muito tempo.  

Visando garantir a comercialização de óleo diesel de boa qualidade, a ANP instituiu algumas regras para orientar as distribuidoras de combustível. Algumas das principais normas relacionadas à estocagem e ao transporte do diesel estabelecem que:

- O óleo diesel B pode ser estocado por longo período visto que o atendimento às boas práticas de manuseio e armazenamento possibilita a manutenção da sua qualidade. O combustível estocado, desconsiderando-se tais práticas, pode se deteriorar e apresentar formação de material insolúvel.

- A presença de material insolúvel no combustível pode levar à obstrução de filtros e injetores, além de favorecer a formação de depósitos no sistema de combustão e a ocorrência de corrosão.

- Os tanques de armazenamento devem estar limpos, secos e protegidos de luz e de temperaturas extremas. Busca-se com isso evitar a oxidação do combustível ou a incorporação de contaminantes.

- O armazenamento pode ocorrer em tanques subterrâneos ou aéreos, devendo ser observada a temperatura à qual o combustível será submetido.

- Após a lavagem de tanques, tubulações, bombas e filtros, o óleo diesel B deve ser circulado por todo o sistema, em volume adequado para carrear resíduos remanescentes. Em seguida, deve-se drenar todo esse volume de forma a preparar o tanque para o recebimento do produto.

- É muito importante garantir a contínua renovação do conteúdo dos tanques de estocagem para limitar a presença de combustível envelhecido.

- Deve ser feita semanalmente a drenagem de produto remanescente no fundo do tanque de armazenamento, para a retirada de água, material microbiológico ou outras impurezas.

5- Testando a qualidade

Como saber se o óleo diesel é de boa qualidade ou não? Primeiramente, é preciso entender que um diesel considerado bom deve estar o mais próximo possível de sua pureza total. Portanto, uma maneira eficiente de verificar isso é colocando-o em um recipiente transparente e posicioná-lo contra a luz. Dessa forma, será possível observar se há partículas estranhas, incluindo água, no meio do óleo. Se você identificar algo, fique atento, pois ele pode estar impróprio para uso.

Você tem alguma dúvida sobre óleo diesel? Deixe uma pergunta nos comentários. Não se esqueça de compartilhar esta matéria nas redes sociais.

 

Busque no blog: