Blog

Selecionados Ruff: Nissan Frontier - A picape dos “Pôneis Malditos”

Você se lembra da musiquinha “Pôneis Malditos, Pôneis malditos”? Ela fez parte da campanha publicitária lançada pela Nissan em 2011 para promover a picape Frontier. O comercial fez tanto sucesso que chegou a ficar em primeiro lugar nos trending topics do Twiiter e, como resultado, fez a vendas da montadora crescer.

Neste artigo, nós da Ruff contamos para você a história da Nissan Frontier e relembramos a repercussão dos pôneis malditos.

A chegada da Nissan Frontier ao Brasil

A Nissan Frontier chegou ao Brasil como um automóvel importado na década de 1990, mas a história do modelo começou bem antes disso, em 1962. Lá fora, essa picape da fabricante japonesa leva o nome de Nissan Navarra. A produção nacional da Frontier começou em 2002, na fábrica de São José dos Pinhais-PR, marcando o início da Nissan do Brasil.

A primeira geração da Frontier nacional foi colocada no mercado nas versões com tração 4x4 e 4x2, contando com um motor de 2.8 litros turbo diesel intercooler e com peso seco de 213 kg. Ela tinha uma potência máxima de 132 cv. Além disso, o modelo de estreia no Brasil já vinha equipado com ABS nas quatro rodas com EBC, faróis de neblina, airbag duplo e com outros detalhes que eram diferenciais na época.

O design das primeiras Frontiers era considerado inovador por aqui, principalmente por causa da semelhança com as picapes americanas. O capô se destacava por seu ar robusto e pelos faróis de neblina mais arredondados. Por dentro, a cabine dupla média era marcada por linhas que davam um ar esportivo ao veículo.

Em seu primeiro ano com fábrica no Brasil, a Nissan produziu 4.500 unidades da Frontier.

Pôneis Malditos, Pôneis Malditos!

Com o passar dos anos, novas gerações da Nissan Frontier foram lançados, garantindo à ela solidez no mercado brasileiro e fazendo frente às principais concorrentes: Ford Ranger, Chevrolet S-10 e a Toyota Hilux. Mas, foi em 2011 que a picape da empresa japonesa ganhou ainda mais destaque graças a um comercial de sucesso.

A publicidade dos “Pôneis Malditos” entrou no ar em julho de 2011 e rendeu bons resultados para a Nissan. No vídeo, era exibida a imagem de um veículo concorrente atolado enquanto o locutor perguntava: “Você prefere uma picape que tenha cavalos ou pôneis?”. Em seguida, o motorista chuta o pneu e o capô abre, mostrando pôneis correndo em um carrossel e cantando “Pôneis malditos, pôneis malditos, venha com a gente atolar”. 

Se você não se lembra do comercial, clique aqui para assisti-lo.

A repercussão da campanha foi gigante! Nas redes sociais, as pessoas só falavam sobre isso, levando os pôneis a ficarem em primeiro lugar nos trendings topics do Twitter. No Youtube, a Nissan lançou uma versão estendida do comercial, onde um pônei fofo se transforma em um “pônei do mal” e, com uma voz macabra diz que “se você não passar o vídeo para 10 pessoas, você vai sofrer a maldição do pônei: você vai ficar o resto da vida com essa música na cabeça”.

A polêmica do comercial e os bons resultados para a Nissan

Os pôneis conquistaram boa parte do público, mas o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (CONAR) recebeu cerca de 30 denúncias contra o comercial. Segundo as reclamações, a campanha era um problema para as crianças, já que associava pôneis – uma figura do universo infantil – à palavra “maldito”. Mas, o processo foi arquivado após o órgão decidir que a publicidade não era inadequada.

Uma nova versão do comercial dos pôneis foi lançada em 2012 e agência de publicidade Lew’Tara/TBWA, desenvolvedora da campanha, recebeu vários prêmios com o vídeo. Quem também saiu ganhando nessa história, claro, foi a Nissan.

Por causa da repercussão dos pôneis malditos, as vendas da montadora em agosto de 2011 cresceu 81% em relação ao mesmo período do ano anterior. Foram 5.375 veículos vendidos no mês. De acordo com dados da empresa, as vendas da Frontier aumentou em 110%. Outros modelos da Nissan também registraram números acima da média. A quantidade de vendas do Sentra, por exemplo, subiu em 127% e do Tida em 120%.

Encerramento da produção no Brasil. Agora, a Frontier vem da Argentina!

Entre 2013 e 2016, houve uma queda constante nas vendas da Frontier no Brasil. Em 2012 foram mais de 17 mil unidades comercializadas. Já em 2016, esse número caiu para 3.605. Essa pode ter sido uma das principais razões que levou a Nissan a anunciar, em setembro de 2017, o encerramento da produção da picape no Brasil.

A nova geração da Frontier passou a ser importada do México, custando entre, mais ou menos, R$ 150 mil e R$ 170 mil. Com um motor 2.3 turbo diesel de 190 cv, ela é vendida nas versões SE e LE. Em 2018, a Frontier começa a chegar ao Brasil a partir da Argentina, diretamente da fábrica instalada na cidade de Córdoba.

Você gosta de picapes? Então, conte para gente nos comentários o que você acha da Frontier Nissan.

 

Busque no blog: