Blog

O passo a passo completo para trocar o óleo do seu carro

Trocar o óleo do carro é um procedimento obrigatório e periódico para quem possui um automóvel, pois o material é responsável por limpar e lubrificar o motor e, ainda, garantir um bom desempenho do veículo por mais tempo.

Por isso, é importante entender quais passos devem ser seguidos ao realizar essa tarefa e aderir algumas dicas para que seja algo fácil e sem erros.

Quer saber como? Leia a matéria e tire todas as suas dúvidas!

1. Conheça as leis de trânsito

No Código de Trânsito Brasileiro existem três artigos que abordam os cuidados obrigatórios com os automóveis e os limites definidos para o estacionamento e reparos dos veículos nas vias – artigo 179, 181 e 231.

Nessas leis são estipuladas as limitações aplicadas ao trânsito e as multas definidas para aqueles que não seguem essas normas.

Entre elas, uma das mais graves, que gera multa gravíssima e ocasiona a remoção do veículo é a parada do automóvel na pista de rolamento das estradas, rodovias, vias de trânsito rápido e com acostamento, em casos de defeitos ou falhas mecênicas.

Por isso, é importante manter a manutenção correta do carro, inclusive a troca de óleo em dia.

2. Consulte o manual do carro

Outro ponto relevante antes de trocar o óleo do carro é a consulta do manual do proprietário.

Nele você encontra todas as especificações técnicas do automóvel, como o tempo que deve ser medido entre uma troca e outra, a quilometragem ideal e o tipo de óleo adequado ao modelo e ano do seu veículo. 

3. Saiba qual óleo é adequado para o veículo

Como destacado no item acima, após ler o manual, você identificará o óleo que deve ser usado.

Além disso, é importante saber que a mistura de substâncias diferentes pode danificar o funcionamento das peças e do motor do carro e que, por este motivo, é imprescindível comprar o produto indicado pelo fabricante, bem como atentar-se à base do óleo recomendada.

4. Obedeça aos prazos

Falando um pouco mais sobre as bases dos óleos utilizados nos motores dos carros, existem três tipos mais conhecidas no mercado: mineral, semissintética e sintética, e essas classificações definem os prazos que devem ser obedecidos entre as trocas.

Nos veículos que usam óleos de base mineral, por exemplo, geralmente, essa atividade deve ocorrer a cada cinco mil quilômetros, nos que utilizam óleos semissintéticos, dez mil e nos que usam o óleo sintético, vinte mil.

Ainda, é bom salientar que o motorista que não obedece esse tempo, no futuro, poderá ter gastos com possíveis falhas do motor, aumento do gasto de combustível ou, em casos graves, inutilização do automóvel.

5. Espere o motor esfriar

Agora sobre as tarefas manuais propriamente ditas, um dos passos mais importantes para a segurança de quem irá trocar o óleo do carro é o esfriamento do motor.

Em hipótese alguma, o veículo deve estar ligado e, para evitar acidentes e queimaduras, é essencial esperar no mínimo cinco minutos antes de manusear as peças.

6. Estacione o carro em locais planos

Quando o veículo está em movimento, o óleo do motor acaba sendo distribuído para a lubrificação e funcionamento das peças e, devido a isso, existem alterações na vareta de medições nesses momentos.

Portanto, é aconselhado, além do tempo de espera de cinco minutos, estacionar o carro em locais planos para que assim o nível da substância retorne à posição real e a conferência da sua quantidade seja exata.

7. Verifique o nível do óleo

Após seguir os passos anteriores, está na hora de medir o nível do óleo do automóvel.

Para isso, retire a vareta de medição e a limpe muito bem em um pano ou papel. Em seguida, coloque-a novamente no motor e depois a retire de novo. A medida real do óleo será a indicada na peça nessa hora.

Além disso, existem duas marcações que devem ser analisadas: uma na ponta da vareta, que representa o nível abaixo do mínimo, e consequente a necessidade da troca do óleo, e uma na parte superior, que indica que o material está acima da quantidade máxima e que, por isso, é necessário drená-lo.

Vale ressaltar que o mais indicado é manter o óleo entre às duas marcações.

8. Entenda sobre a textura e a cor do óleo

Algumas inverdades que, normalmente, acreditamos é a respeito da cor e da textura do óleo. Ao contrário do que muitos dizem, eles não são indicadores para a troca e sim sinais do funcionamento natural do motor.

Por exemplo, quando o óleo apresenta uma cor mais escura, quer dizer que ele está limpando e lubrificando as peças do carro de maneira efetiva, e ao identificar uma textura mais fina da substância, refere-se ao efeito normal do material ao ser aquecido.

9. Tenha um mecânico de confiança

Ainda que trocar o óleo do carro possa parecer simples, é indicado que a tarefa seja desempenhada por um profissional de sua confiança. Somente ele estará apto e terá o conhecimento e experiência adequada para realizar todas as etapas com detalhes e da forma correta.

10. Recicle o óleo

Por último, e não menos importante, você deve se certificar que o óleo retirado do seu automóvel não será descartado em qualquer lugar, e que o estabelecimento que oferece esse tipo de serviço tem um certificado emitido por coletores autorizados do material.

O Ministério do Meio Ambiente caracteriza o óleo lubrificante de motores como perigoso e com altos índices de contaminação, por isso, é essencial dar a ele o destino adequado após o seu uso.

Ao colocar em prática os 10 passos que apresentamos aqui, a troca de óleo do carro se tornará muito mais simples e fácil, além de aumentar a vida útil do seu automóvel.

Possui dúvidas sobre esse ou outros reparos em veículos? Deixe sua mensagem nos comentários!

Busque no blog: