Blog

Selecionados Ruff: Toyota Corolla

Com mais de 50 anos de história e mais de 40 milhões de unidades vendidas pelo mundo, não dava para o Toyota Corolla ficar de fora do Selecionados Ruff. O modelo foi projetado pelo engenheiro Tatuso Hasegawa para atender as necessidades do mercado japonês. Anos mais tarde, ele acabou ganhando os cinco continentes. Hoje, aproximadamente 15 fábricas da empresa produzem o Corolla mundo afora.

Conheça a evolução e algumas curiosidades que nós separamos para vocês sobre esse verdadeiro fenômeno automotivo.

Os primeiros anos de história

O nome Corolla não vem do japonês como muitos imaginam. Na verdade, a palavra foi retirada do Latim e significa “coroa de flores”. A história desse nome dentro do mundo automotivo ganhou destaque a partir de 1966, quando a Toyota lançou a primeira versão desse que seria o seu maior sucesso.

Muito diferente do modelo que conhecemos hoje, a primeira geração do Corolla era bem compacta, tendo 3,85 metros de comprimento e 2,28 metros de entre eixos. Ele era um sedã com duas-portas e pesava cerca de 700 quilos. 

O ano de 1968 ficou marcado pelo lançamento do Corolla Sprinter, modelo disponível em quatro portas, e pelo início da produção do Corolla nos Estados Unidos. O sucesso grandioso da novidade da Toyota foi responsável por dobrar a produção de veículo da empresa naquela década, chegando à marca anual de 1,1 milhão de unidades fabricadas.

Do Japão para o mundo

A segunda geração do Corolla foi lançada em 1970, chegando ao mercado com alguns centímetros a mais. Ele passou a ter 3,94 metros de comprimento e 2,33 metros de entre eixos. Já o motor de 1,1 litro foi substituído pelo de 1,2 litro. Na parte interior, o carro ganhou bancos dianteiros com encosto alto. Dois anos mais tarde, a Toyota inovou mais uma vez e apresentou uma versão esportiva do automóvel, o Corolla Levin. Ele tinha motor 1.6 2T-G e 115 cv, uma boa configuração para a época. Não levou muito tempo para a terceira geração entrar em cena. Isso aconteceu em 1974, quando o carro ganhou mais alguns centímetros e um motor esportivo.

De geração em geração, o Corolla foi se modernizando e destacando-se cada vez mais no mercado automobilístico japonês e mundial. Em sua quarta geração, por exemplo, ele passou a ter um estilo mais confortável e a contar com versões luxuosas. A partir da quinta geração, em 1983, foram produzidos apenas modelos quatro portas. Os principais diferenciais nessa época vieram na parte mecânica com a implantação de motor transversal, suspensão traseira independente e tração dianteira.        

E a sexta geração? Ela começou a ser fabricada em 1987 e ficou marcada por seu estilo mais aerodinâmico e arredondado. Essas características foram aprimoradas em sua sétima geração, a partir de 1991. Dois anos depois, o Corolla passou a ser importado para o Brasil. O modelo que chegava por aqui tinha 4,27 metros de comprimento e 2,46 metros de entre eixos, além de ser disponibilizado em câmbio automático e motores 1.6 e 1.8 com 117 cv.

O ano de 1997 foi bastante significativo para a Toyota, pois foi quando o Corolla alcançou a marca de 22,6 milhões de unidades comercializadas. Esse número fez dele o carro mais vendido no mundo.

Fabricação brasileira

Foi apenas durante a sua sétima geração, em 1998, que o Corolla começou a ser produzido no Brasil, na recém-inaugurada fábrica da Toyota em Indaiatuba, no estado de São Paulo. A versão nacional foi fabricada apenas como sedã e com motor 1.8 de 116 cv.   

Com a chegada do século 21, a nona geração do Corolla passou a contar um design mais moderno e a ter mais tecnologias a bordo. Esses aspectos foram ainda mais desenvolvidos em sua décima geração.

Presente e futuro do Toyota Corolla

A versão mais moderna do Corolla no mercado brasileiro faz parte da 11ª geração. Ela tem um estilo amplo, com entre eixos de 2,70 metros. Os motoristas encontram nesse modelo controles eletrônicos de tração e de estabilidade e versões com motor 1.8 e motor 2.0. A grande inovação da 11ª geração é a presença de câmbio CVT. Enquanto isso, no mercado japonês, ele mantém um estilo mais estreito, seguindo os padrões automobilísticos do país. 

Já o futuro do Corolla será protagonizado por sua 12ª geração, a qual foi apresentada no Salão de Nova York 2018. No evento, foi exposta a versão hatch americana, que será vendida com motor 2.0 Dual-VVT-i aspirado e injeção direta. Além disso, o seu sistema de comando das válvulas de admissão será controlado eletricamente.

É bem provável que o Corolla hatch não fará parte do mercado brasileiro, mas a nova geração do queridinho da Toyota será produzido por aqui a partir de 2019, na fábrica de Porto Feliz, em São Paulo. Os modelos mais caros do sedã contarão com motor 1.5 turbo. Outro ponto a ser lembrado é que o câmbio manual de seis marchas não estará mais presente no Corolla brasileiro. 

Qual é sua opinião sobre o Toyota Corolla? Conte para gente nos comentários.

 

Busque no blog: