Categoria: Dicas e Cuidados | Blog

4 itens importantes para checar na manutenção de caminhões

A revisão de caminhões é de extrema importância, uma vez que são veículos que costumam circular por grandes períodos de tempo e distância. Apesar da estrutura reforçada e visual intimidador, os gigantes das estradas muitas vezes apresentam problemas pela falta de manutenção, o que pode deixar o motorista na mão e a carga sem ser entregue.

Nessa matéria, falaremos sobre quatro pontos principais que devem ser observados no momento da manutenção desses veículos.

Filtros

O motor de um caminhão é um sistema que deve sempre trabalhar com perfeição, afinal, são toneladas em movimento. É fundamental que a empresa ou o motorista façam de forma adequada as trocas, sempre de acordo com os prazos estipulados pela montadora. Outros filtros que necessitam de manutenção constante são os de combustível e ar, já que podem se desgastar, acumular resíduos e prejudicar a performance do veículo.
 

Óleo

Como foi citado no item anterior, o motor é talvez a parte mais importante do caminhão. É fundamental sempre conferir o estado que se encontra o óleo atual através da vareta. Borras e pequenos resíduos metálicos não são um bom sinal, por isso, tal “sintoma” deve ser seguido por uma passagem pela oficina especializada.
 

Freios

Discos, pastilhas, lonas, sapatas, molas... todos esses materiais, quando presentes no caminhão, pedem revisão e manutenção constantes. Os freios, assim como os motores, são muito exigidos e têm um desgaste mais rápido. É melhor trocar uma peça que está ficando imprópria do que trocar um sistema de freios inteiro quando der problema ou causar um acidente. Todos saem ganhando.
 

Suspensão e pneus

É preciso sempre fazer a regulagem da suspensão e o balanceamento dos pneus, assim como ocorre nos veículos de passeio. As molas, mangueiras e válvulas podem apresentar avarias em decorrência do uso, assim como o inevitável desgaste e esvaziamento dos pneus. 

3 dicas para elaborar seu mapa de riscos

Por questões de segurança, todo posto deve contar com um mapa de riscos, que sinaliza os locais mais perigosos do seu estabelecimento. É tarefa da equipe gestora mapear toda a extensão do posto e expor de maneira clara e simples o que cada perigo representa, e tudo isso é aprovado pela Coordenação Interna de Prevenção a Acidentes (CIPA), necessitando inclusive de renovações anuais.

Nessa matéria, daremos dicas de como organizar o seu mapa de riscos para deixá-lo mais didático e eficiente.
 

Como começar?

É preciso fazer uma inspeção completa e identificar todos os tipos de riscos, mesmo que mínimos, tanto na estrutura, quanto no funcionamento dos equipamentos e na segurança dos processos como o abastecimento e afins.
 

Classificando os riscos

Encontrou algo que representa perigo? Agora é hora de separar por categorias. Os riscos podem ser: físicos, químicos, ergonômicos, biológicos e, é claro, de acidentes. Cada um deles será sinalizado com uma cor diferente e com intensidades diferentes no traço destacado no mapa, dependendo do tamanho do risco que ele oferece.
 

Fator humano

Não são só apenas os clientes que devem ter conhecimento dessas informações. Os funcionários devem ser treinados para sempre dar preferência ao que proporcione segurança no trabalho, e desta forma, eles mesmos poderão transmitir a mensagem aos consumidores.

Apesar do conforto que os postos oferecem, é preciso ser consciente de que aquele é um ambiente altamente perigoso e que oferece diversos riscos em casos de irresponsabilidade. Abasteça seu carro sempre de forma consciente, de preferência na Ruff.

Cuidados necessários na lavagem de motos

Enquanto a lavagem dos carros tende a ser mais eficiente em estabelecimentos especializados, a das motos pode ser feita em casa, se tomadas as devidas precauções. Caso a grana esteja curta para pagar um lava-rápido ou se você adquiriu o hábito de cuidar do seu veículo de duas rodas, a limpeza pode ser eficiente e simples, seja na rua ou na garagem.

Acerca do assunto, daremos algumas dicas para quem for se aventurar na lavagem, lembrando sempre de economizar água. Confira:
 

Sempre na sombra

Evitar o sol também previne manchas na pintura e ressecamento dos materiais emborrachados. Parte do mesmo princípio a necessidade de esperar o motor esfriar para jogar água, evitando-se assim o choque térmico e o comprometimento das peças e sistemas.
 

De cima para baixo

Começar por cima possibilita que a água escorra para as partes inferiores e já faça parte da limpeza de forma passiva. Além disso, a parte inferior concentra toda a mecânica, então é melhor reservar um tempo maior para motor, escapamento, rodas, freios e corrente.
 

Cuidado com a água

É fundamental regular a pressão da fonte de água que estiver usando, seja mangueira ou jatos de lavadoras, já que a potência pode danificar as estruturas mais sensíveis e inundar o interior. O escapamento merece atenção especial. Caso ele seja virado para cima, é recomendado tapar com algum pano ou estopa para que não encha de água, o que causaria problemas futuros.
 

As rodas

Se as rodas estiverem muito sujas, pode-se usar palha de aço fina e xampu com querosene. A camada grossa de sujeira sairá mais fácil, mas é preciso prestar atenção para não arranhar o metal da roda.
 

Secagem

Toda a parte de cima pode ser seca com panos de algodão, sempre macios, para que absorvam a humidade mais facilmente. A parte mecânica vai secar aos poucos, mas uma voltinha rápida deve ajudar na evaporação dos resíduos mais escondidos. Cera e silicone em gel podem ser aplicados na pintura e nos pneus, respectivamente, para dar o toque final.

6 itens para checar no seu veículo antes de viajar

O fim de ano vai chegando e muitos já estão com viagens planejadas para encontrar a família e os amigos. Ao pegar a estrada, é importante que o veículo esteja pronto para aguentar as centenas de quilômetros, por isso o responsável deve tomar as precauções e fazer as revisões necessárias. Listaremos cinco sistemas que precisam obrigatoriamente estar em dia para garantir uma viagem segura e confortável. Confira:
 

Pneus

Pneus novos não só dão ao carro uma direção mais leve, como também dão mais estabilidade e aderência ao asfalto. Curvas e freadas na estrada podem ser bem perigosas se a borracha não estiver em bom estado. Além do fator “segurança”, a fiscalização rodoviária pode multar o motorista pelos pneus carecas caso haja uma abordagem.
 

Motor

O motor precisa estar em dia e com óleo no prazo de validade. Além disso, a água do sistema de arrefecimento deve estar no nível ideal, a fim de evitar superaquecimento. O consumo de combustível será o ideal se tudo estiver em ordem, o que ajuda também no bolso.
 

Freios

Os freios precisam estar regulados, sejam eles a disco, ABS ou tambor. A fim de evitar acidentes e ter uma viagem mais segura, leve a um lugar de confiança para que os testes de qualidade sejam feitos.
 

Suspensão

O alinhamento e balanceamento dos pneus deve ocorrer frequentemente, como pedem as montadoras. Os amortecedores e molas se desgastam, o que requer manutenção e troca desses itens. 
 

Lâmpadas

Se normalmente você já não deve andar com faróis e lâmpadas queimados, na estrada muito menos. Além de ser passível de multa, as luzes em bom estado ajudam na sinalização do seu próprio carro e na percepção dos outros motoristas sobre a sua passagem.
 

Ferramentas de emergência

Certifique-se de que a chave de roda, macaco, estepe, triângulo, extintor e outros itens indispensáveis estejam no carro e prontos para uso. 

Cuidados necessários com o carro no clima quente

O verão ainda nem começou, mas o calor parece ter chegado com força na maior parte do Brasil, e isso afeta inclusive os nossos veículos. O clima quente exige cuidados especiais em diversas partes dos carros, incluindo o couro, pintura, vidros e pneus, já que são diretamente afetados pela temperatura mais alta e o sol intenso que marcam essa época do ano e os meses que virão a seguir.

Aproveitamos o tema para dar algumas dicas de como cuidar destas áreas mais sensíveis da nossa máquina de cada dia, pensando sempre em alternativas simples e acessíveis. Anota aí:
 

Pintura

Manter a pintura sem poeira, folhas e as infelizes fezes de pássaros é obrigação, mas em época de calor, evite lavar o carro sob o sol quente para evitar manchas devido à reação dos produtos químicos com os raios ultravioleta. Seria como passar limão na sua pele e ir para o sol. Ah: uma cera para polir não só vai deixar o carro brilhando como também vai criar uma camada protetora.
 

Bancos

Especialmente os bancos de couro são grandes vítimas do calor forte do verão. Quando aquecidos por muito tempo, são capazes de literalmente queimar o passageiro que sentar com as pernas/costas desprotegidas. Existem capas especiais que podem revestir de forma ágil os bancos, além de produtos que protegem o material para evitar danos. A dica a seguir também é uma grande aliada dos bancos.
 

Para-brisa

Uma solução fácil e barata para evitar que seu carro esteja um verdadeiro forno na hora que você for entrar é deixar um tapa-sol, daqueles prateados que refletem os raios e são capazes de diminuir em até 40 ºC a temperatura ali dentro. Além do resfriamento, ele evita que bancos e a borracha de alguns acessórios esquentem e se danifiquem. Vale o investimento.
 

Pneus

Com o aumento da temperatura, a pressão e o atrito da borracha com o asfalto também crescem, o que obriga o motorista a calibrar com mais frequência. Além disso, pneus em dia ajudam na economia do combustível, têm maior vida útil e evitam acidentes. Atenção!
 

Motor

O motor esquenta por conta própria durante o uso do carro, mas o forte calor sobre o capô também pode contribuir. Mantenha sempre em dia os níveis de água e óleo, assim os riscos de aquecimento extremo diminuem e você tem uma viagem mais segura. Em caso de superaquecimento, jamais abra na hora o reservatório de água para checar, a queimadura com vapor é quase certa, então espere resfriar.

Busque no blog: