Categoria: Dicas e Cuidados | Blog

Gerente de posto: conheça as funções e habilidades necessárias para a profissão

O gerente é um dos principais responsáveis pelo bom desempenho de um posto. Além de supervisionar a reposição de produtos, ele faz a gestão da equipe de frentistas e de colaboradores da loja de conveniência. Por isso, o gerente precisa dominar técnicas de administração, saber liderar e conhecer bem os combustíveis.

Para contratar um bom gerente, é preciso se atentar não só às habilidades profissionais dos candidatos, mas também às habilidades pessoais. Isso porque ele vai precisar construir uma relação de confiança com os colaboradores, clientes e com o proprietário do posto.

Confira algumas das principais funções desempenhadas por um gerente e saiba quais são as habilidades que ele precisa ter para garantir o bom funcionamento do estabelecimento.

Braço direito do proprietário

Além de ser um profissional capacitado e treinado, o gerente precisa ser alguém de extrema confiança, pois ele deve atuar como braço direito do proprietário do posto, administrando e cuidando de tudo, inclusive da parte financeira. Por isso, é necessário haver uma comunicação clara e frequente entre eles.

O dono do posto e o gerente devem ter uma boa relação para que juntos consigam definir as estratégias e as metas do estabelecimento. Além disso, um bom gerente sabe a melhor forma de reportar grandes problemas e de apresentar as possíveis soluções ao seu chefe.

Aquisição de produtos de qualidade

É função do gerente garantir o bom funcionamento de todo o pátio de abastecimento, incluindo a manutenção da limpeza e o recebimento de combustível e de demais produtos. É claro que não é ele quem vai desempenhar todas essas atividades, mas ele deve saber distribuir essas funções e supervisionar como elas são desenvolvidas.

Ah, e o gerente é responsável pela qualidade dos produtos comercializados no posto. Por esse motivo, ele precisa saber escolher muito bem o fornecedor de combustíveis com o intuito principal de oferecer aos seus clientes um abastecimento de primeira e com base nas normas da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). E, em complemento, ele deve garantir que os frentistas estejam preparados para realizar testes de qualidade.

Garantia da segurança patrimonial e dos colaboradores

Infelizmente, é comum ouvirmos notícias sobre postos de gasolina sendo assaltados. Por ser um estabelecimento comercial tão vulnerável à ação de criminosos, o gerente também deve atuar para assegurar a proteção do patrimônio e dos colaboradores. Por essa razão, ele precisa verificar se os sistemas de câmeras e alarmes estão funcionando adequadamente.  

Outro cuidado é com a segurança do trabalho, ou seja, é preciso garantir que a equipe toda esteja sempre usando as roupas e os equipamentos de proteção exigidos para esse tipo de ambiente. Além disso, o gerente precisa estar ciente dos prazos de validade dos extintores e de demais medidas obrigatórias de segurança.

Administração da loja de conveniência

Em postos com loja de conveniência, o gerente também pode ser o responsável pela administração desse espaço. É ele quem se comunica com os fornecedores, garante a reposição dos estoques e se certifica de que as normas da vigilância sanitária estejam sendo seguidas.

O profissional com boas noções de marketing também vai mobilizar a equipe para decorar a loja de conveniência em datas especiais, como natal, páscoa e copa do mundo. Promoções e sorteios são outras ações que podem ser coordenadas pela gerência.

Liderança e gestão de pessoas

Um bom gerente de posto precisa ser um líder. Esta habilidade vai permitir que ele construa uma boa relação com os colaboradores, sempre motivando e unindo toda a equipe. O reflexo de uma boa gestão de pessoas é o desenvolvimento de um ambiente agradável de trabalho e a prestação de um bom atendimento aos clientes.

Vale lembrar ainda que, mesmo em um posto com profissionais de recursos humanos, o gerente precisa estar ciente e coordenar o horário de trabalho de sua equipe. Ele vai ajudar a definir, por exemplo, o quadro de folgas. Além disso, ele deve participar diretamente do processo de recrutamento de novos colaboradores.

Administração das finanças

O gerente pode ainda atuar na parte financeira do posto de combustível, fechando o caixa e efetuando o pagamento de contas e de salários. E não é só isso! Ele também pode definir o valor do combustível vendido nas bombas, levando em consideração, por exemplo, o preço da concorrência e a margem de lucro.

Como você deve imaginar, o fluxo de caixa em um posto é bastante intenso. Por isso, o gerente precisa fazer o controle das entradas e saídas pelo menos uma vez ao dia. De forma geral, ele precisa estar ciente de toda a vida financeira do estabelecimento para apresentar relatórios de lucratividade ao proprietário.

Você tem alguma dúvida sobre a profissão de gerente de postos? Deixe a sua pergunta nos comentários.

 

6 cuidados que você precisa ter com as rodas do carro

As rodas fazem toda a diferença no visual de um carro. Além de influenciarem na beleza do automóvel, elas são um dos componentes responsáveis pela estabilidade na direção. Mas, para que as rodas do carro cumpram essas e outras funções, é preciso saber bem como cuidar delas. E aqui vão algumas dicas importantes:

1. Calibre os pneus

Muita gente acaba se esquecendo de calibrar os pneus ou adiam essa tarefa até o último momento. Um dos problema disso é o fato de os pneus murchos danificarem seriamente as rodas do carro, causando deformações no aro. Por isso, a calibragem deve ser feita, no máximo, de 15 em 15 dias.

É importante checar o manual do carro para verificar a pressão recomendada e calibrar apenas quando os pneus estiverem frios. Em postos de combustível, é comum a utilização de ar comprimido enquanto algumas oficinas usam nitrogênio para a calibragem. Mas, atenção: não é recomendado misturá-los.

2. Cuidado com os buracos

Os buracos são inimigos dos veículos. Dependendo do impacto, a roda pode ser a primeira parte do carro a ser danificada. Mesmo que isso não aconteça imediatamente, passar frequentemente por buracos pode fazer com que os ângulos das rodas sofram alterações.

Quando houver esse tipo de problema, é preciso ajustar a cambagem. Ela diz respeito ao ângulo de inclinação da roda em relação à superfície, sendo responsável por distribuir o peso do carro e evitar que o pneu fique mais desgastado. Em casos de impactos mais graves, a única solução é a troca da roda.

A recomendação principal é diminuir a velocidade em vias esburacadas e ficar de olho para não cair em nenhum “buraco surpresa”. Ah, e quanto às rodas de liga leve, vale ainda evitar locais com muitas pedras, pois elas podem danificar a camada protetora de verniz.

3. Esteja sempre com a manutenção em dia

Mesmo que o seu carro não tenha passado ou caído em buracos recentemente, é importante fazer a manutenção periódica das rodas. Além da cambagem, é preciso fazer o balanceamento para garantir a durabilidade de diferentes peças do veículo.

O balanceamento também é recomendado por questões de segurança, já que a falta dele pode colocar em risco a estabilidade do automóvel. Mas, quando fazer o balanceamento? O indicado é procurar esse serviço sempre que sentir vibrações ou a cada 10 mil quilômetros rodados.

Também é preciso dar atenção especial ao cubo de roda, aquela peça que fixa e transmite a rotação às rodas. O ideal é realizar a manutenção preventiva dela a cada 20 mil quilômetros, mais ou menos. Vale lembrar ainda que fazer a lubrificação do cubo é importante para aumentar sua vida útil.

4. Não deixe a sujeira acumular 

Na hora de lavar as rodas, existem alguns cuidados a serem tomados para evitar que elas fiquem manchadas ou riscadas. A primeira dica é não deixar a sujeira se acumular por muito tempo, pois isso dificulta a limpeza e faz com que as rodas percam a aparência de novas.

Em hipótese alguma utilize produtos de limpeza derivados de petróleo como o querosene. Isso porque eles podem danificar o verniz ou a pintura. Para proteger a roda de riscos e arranhões, o melhor é passar um boa cera protetora.

Use apenas detergentes automotivos e nada de esponjas abrasivas ou escovas. O melhor mesmo é optar por uma esponja macia. E quando surgir algum dano na pintura das rodas de aço, o ideal é fazer o reparo o mais rápido possível para evitar o surgimento de ferrugem no local.

5. Faça a troca das rodas com precisão

Você sabe como deve ser feita a troca da roda do carro? A regra principal é manter o diâmetro da roda e do pneu de acordo com as originais. Isso porque o maior diâmetro do conjunto roda/pneus pode alongar a relação final de transmissão, o que vai acabar prejudicando as acelerações e o consumo de combustível.   

Quando o diâmetro do conjunto roda/pneus for menor que o necessário, o problema será o encurtamento na relação final de transmissão e, consequentemente, o aumento de ruídos nas estradas e o impacto no consumo de combustível.

Vale lembrar ainda que qualquer alteração na relação final de transmissão pode interferir no funcionamento do computador de bordo, do sistema de frenagem ABS e do sistema TCS.

6. Cuidado com o meio-fio

A boa direção também é uma prática fundamental para quem deseja conservar as rodas do carro. Quando vemos uma roda toda ralada, logo já pensamos que ela foi “vítima” de alguma barbeiragem. E o momento em que isso mais costuma acontecer é na hora de estacionar o carro.

Algumas pessoas acabam não prestando muita atenção e se aproximam demais do meio-fio, chegando a arranhar as rodas. Em casos mais bruscos, até os pneus acabam sendo cortados. Por isso, a dica é prestar bastante atenção na distância entre o carro e a calçada. Não precisa parar muito longe dela, mas também não é necessário encostar.

Você tem outras dicas ou sugestões para cuidar bem das rodas do carro? Conte nos comentários.

 

5 coisas que você precisa saber sobre abastecer carro flex

Você sabia que a maior parte dos veículos emplacados no Brasil é flex? Em 2003, o país produziu o primeiro modelo que podia ser abastecido com gasolina e etanol: um Gol com motor AP 1.6. Naquele mesmo ano, outras fabricantes passaram a investir na produção de veículos com sistema biocombustível, tornando-se um item padrão nos dias de hoje.

Embora os carros flex já estejam no mercado há mais de 15 anos, ainda existem muitos mitos sobre eles. Além disso, muita gente nos pergunta sobre a melhor forma de abastecer esses automóveis. Aliás, será que existe uma maneira ideal de abastecê-los? Para esclarecer as principais dúvidas, nós reunimos aqui as informações importantes sobre o assunto.

1. Abastecendo pela primeira vez: gasolina ou etanol?

Muita gente por aí costuma dizer que o primeiro abastecimento de um carro flex precisa ser feito com etanol. E mais: que esse combustível deve ser utilizado até o carro completar 500 km rodados. Na verdade, esse é um grande mito! O flex pode ser abastecido, desde a primeira vez, tanto com etanol quanto com gasolina.

Esse tipo de automóvel tem um sensor no escapamento: o sonda lambda. É ele o responsável por reconhecer o combustível utilizado e enviar a informação para a central eletrônica. A partir daí, o motor é ajustado automaticamente para realizar a queima do combustível sem afetar o desempenho do carro.

Então, tanto faz abastecer o carro com gasolina ou etanol!

2. Tanto faz a proporção de etanol e gasolina no tanque

Outra dúvida bastante recorrente é em relação à mistura dos combustíveis. Então, vamos esclarecer essa questão: não importa a proporção de etanol e gasolina no tanque. Você pode misturá-los da forma como bem entender e quando bem entender. Não há restrições, pois a “inteligência” da sonda lambda consegue identificar a quantidade de etanol e gasolina, configurando o motor de forma adequada.

Ah, e há ainda quem afirme que o ideal seja abastecer o automóvel com 50% de gasolina e 50% de etanol. A vantagem disso seria um ganho no desempenho do veículo e uma economia maior para o bolso. Na realidade, isso varia de carro para carro. O motorista precisa fazer essa experiência para verificar se há de fato algum benefício.

3. A regrinha dos 70% pode variar

Quando o assunto é abastecer carro flex, também fala-se muito sobre a regra dos 70%. Para economizar, muitos recomendam verificar se o preço do etanol na bomba equivale a 70% do valor da gasolina. Em caso positivo, abastecer com o combustível derivado da cana seria mais vantajoso.

Hoje em dia, essa regrinha não é tão precisa! Os motores e o etanol já não são mais os mesmos, implicando na variação entre 68 e 75%. Por isso, a dica é fazer as contas! Como? Abasteça com etanol e depois com gasolina e veja quantos quilômetros por litro o carro fez com cada um deles. Se a diferença no consumo for menor ou maior do que 30%, a regrinha dos 70% não é a ideal para você. Nesse caso, vai ser preciso ajustar a porcentagem.

4. O carro poderá precisar de gasolina no inverno

Em dias de baixa temperatura, quando o carro estiver abastecido com etanol, é importante haver gasolina no tanquinho de partida a frio. Sem isso, vai ser difícil fazer o carro funcionar. Lembre-se de que a gasolina não pode estar envelhecida, pois, se estiver, você vai ter problemas para conseguir sair com o carro.

Uma sugestão para a época do frio é sempre manter o tanque com, pelo menos, 10% de gasolina. Isso vai ajudar na hora da partida! A boa notícia é que os automóveis flex mais modernos contam com uma injeção direta de combustível capaz de aquecer o etanol nos dias em que estiver fazendo frio.

5. Etanol e gasolina têm níveis diferentes de poluição

Em comparação com a gasolina, o etanol é um combustível menos poluente. Isso porque ele tem um nível de carbono reduzido, o que equivale a, mais ou menos, 1/3 do da gasolina. Além disso, o etanol não costuma contribuir para a formação de depósitos de carboníferos na câmara de combustão, ou seja, não há o acúmulo de resíduos. É por isso que, geralmente, ele não precisa de aditivos.

Você tem alguma dúvida sobre o abastecimento de carro flex? Deixe a sua questão nos comentários!

 

8 dicas para lavar o carro e deixá-lo brilhando

Lavar o carro pode parecer uma tarefa simples, mas é preciso tomar alguns cuidados. É importante, por exemplo, escolher com cuidado os produtos a serem utilizados e saber qual é a melhor maneira de limpar certos itens do automóvel, como os vidros e o painel. Para te ajudar a cuidar bem do seu automóvel, nós reunimos nesta matéria 8 dicas importantes.

1 – Avaliar a situação do carro

Antes de pegar o balde e o sabão, avalie a condição geral de limpeza do seu carro para saber se ele precisa de uma lavagem completa ou apenas uma limpeza simples. Isso porque muitas pessoas acabam criando a rotina de lavar o carro todos os finais de semana, mesmo sem necessidade.

Caso você pegue estradas de terra ou rodovias diariamente, o recomendado é cuidar da limpeza do carro a cada 15 dias. O mais importante é não deixar a sujeira ficar acumulada por muito tempo, pois ela pode acabar danificando a pintura. Tratando-se de lama, a situação pode ser ainda mais delicada, pois ela pode enferrujar a lataria se permanecer no veículo por um longo período.

2 – Lave o carro na ordem correta

Sim! Existe uma ordem ideal para lavar o carro. O mais indicado é começar de cima para baixo, ou seja, do teto até chegar aos pneus. É mais prático e ágil! Além disso, nunca ensaboe o carro todo para depois enxaguá-lo. A dica é ir lavando o veículo por partes para evitar que o produto de limpeza seque e manche a pintura.

Na hora de lavar o carro, prefira fazer isso sob uma sombra para evitar o surgimento de manchas no veículo. Ah, não se esqueça de utilizar a água de forma consciente!

3 – Não utilize produtos derivados de petróleo

Não utilize querosene ou qualquer outro produto derivado de petróleo na hora de lavar o carro, principalmente na lataria ou no interior do veículo. Isso porque esse tipo de composição pode causar reações químicas capazes de deteriorar a pintura do automóvel. Portanto, lembre-se sempre de ler as especificações do produto.

4 – Não se esqueça do aspirador

Por motivos óbvios, nada de usar água corrente na hora de limpar o interior do automóvel. O aspirador de pó é o melhor recurso a ser utilizado nesse momento. Então, tire os tapetes e demais itens de dentro do carro para poder aspirar tudo! E por falar em tapetes, não há nenhum grande segredo para lavá-los. Uma escova, água e sabão são suficientes para deixá-los como novos.

Mas, e qual é a melhor forma de limpar o painel, o volante e as peças de plástico/couro? Use sempre produtos automotivos! Nada de aplicar lustra móveis ou qualquer outra coisa que não seja especificamente destinada a carros. Álcool também não é um boa ideia, pois ele tem o poder de ressecar materiais de plástico. No caso do couro, você pode hidratá-lo com água mesmo. 

5- Cuide bem dos bancos

Ainda na parte interior do veículos, os bancos podem ser limpos com a ajuda de uma solução caseira bastante simples. Você só precisa misturar os seguintes itens em um recipiente:

- 500 ml de água
- 1 colher de amaciante
- 1 colher de bicabornato de sódio
- ¼  xícara de álcool

Esse procedimento remove aquela sujeirinha mais profunda e ainda deixa o estofado do carro com cheirinho de limpeza. Para aplicá-lo, você pode usar tanto uma flanela quanto uma escova. Essa dica também é válida para os bancos de couro! Além de limpá-los, essa receita fácil e barata ajuda a hidratar o couro.

Clique aqui para conhecer mais dicas sobre a melhor forma de limpar os bancos do seu carro.

6 – Escolha o tipo de cera ideal para o seu carro

Depois de lavar o carro, é hora de dar aquela polida para ele ficar brilhando! Além de deixar o automóvel com cara de novo, a cera tem a função de proteger a superfície do carro do acúmulo de poeira e água, evitando o surgimento de manchas. O que muitos não sabem é que existem muitas variedades de ceras e, por isso, é preciso saber identificar qual é a melhor para o seu carro. A dica é sempre ler as informações contidas no rótulo para se certificar se ela é apropriada ou não.

Outra recomendação importante é garantir se você está levando uma cera de boa qualidade. Desconfie de ceras muito baratas, pois elas podem ser duras e nada eficientes. Se for aplicada uma cera realmente boa no seu carro, o polimento poderá ser feito de 6 em 6 meses. E, por falar em polimento, você sabia que existe uma temperatura ideal para polir o carro? O indicado é não deixar para fazer isso quando estiver muito calor, com o termômetro marcando mais de 30ºC, pois nessas condições a cera seca muito rapidamente e torna o trabalho de polir mais difícil. Já em temperaturas abaixo de 13ºC, a cera não espalha muito bem sobre o carro.

7 – Limpe os vidros de forma correta

Para a limpeza do carro ficar completa, o vidros também precisam de atenção especial. Por isso, utilize um limpa vidro capaz de formar uma película protetora e de boa qualidade, de preferência aqueles sem amônia na composição. Panos macios e que não soltem fiapos são os mais indicados para aplicar o produto nos vidros. Para finalizar e dar aquele brilho, use um jornal amassado. Outra dica é fazer movimentos verticais e horizontais para evitar que o vidro fique riscado.

8- Deixe os pneus brilhando     

O famoso pretinho, produto utilizado para deixar os pneus brilhando, é item quase obrigatório para quem quer sempre manter o carro com aparência de novo. Opte por produtos confiáveis, ou seja, aqueles que contêm a descrição de sua fórmula no rótulo. Os melhores são aqueles fáceis de aplicar e que mantêm os pneus com brilho por um longo período.

Você tem alguma outra dica para lavar o carro? Conte aqui nos comentários!

 

Mitos e verdades sobre postos de combustíveis

Muitas histórias rondam o mundo dos combustíveis. Boa parte delas são reais, mas outras não passam de mito. Isso acaba gerando muitas dúvidas sobre o que é ou não é permitido na hora de abastecer o carro. “Será que o meu celular vai explodir o posto?”, “Será que posso abastecer meu carro novo com gasolina aditivada?”, “Será que tem problema eu pedir para o frentista encher o tanque até a boca?”. Essas e outras questões são bem comuns no dia a dia dos postos.

De fato, os estabelecimentos fornecedores de combustíveis contam com diversas restrições por questões de segurança. Embora a justificativa para elas possam ser, às vezes, equivocadas ou exageradas, é importante sempre seguir as instruções presentes nas sinalizações dos postos. Mas, então, o que é mito e o que é verdade? Nós contamos para você.

Celular em postos de combustíveis causam explosões

Mito. Em entrevista à revista Superinteressante, o professor Marcelo Knobel, do Instituto de Física da Unicamp, afirma que a única possibilidade de um celular explodir um posto é se “ele cair e a bateria se soltar, produzindo uma faísca perto do chão num posto que tenha acabado de receber combustível”. Essa história surgiu com a disseminação em massa de um e-mail falso falando sobre a explosão de um posto de combustível causada por um celular que tocou durante o abastecimento. Embora falsa, a história acabou levando grandes cidades a criar leis proibindo o uso de celulares em postos, como em São Paulo.

Até hoje, nenhum caso de incêndio foi registrado nessas circunstâncias. Apesar disso, a restrição se mantém válida em diversos estabelecimentos sob a justificativa de que a eletricidade estática presente nos postos de combustíveis possa gerar faíscas quando em contato com o celular. Geralmente, essa restrição é aplicada apenas para a área próxima aos bicos de abastecimento. Mito ou não, sempre respeite as sinalizações de segurança presente nos postos!

Deve-se desligar o motor ao abastecer

Verdade. Os próprios postos de combustíveis já contam com sinalizações solicitando o desligamento do carro na hora de abastecer. Isso porque existe o risco de o motor ligado gerar inflamação dos gases da gasolina.

Fumar dentro do carro é altamente perigoso

Verdade. Todo mundo sabe que é proibido fumar em um posto de combustível. Essa norma de segurança está relacionada ao alto risco de incêndio proveniente do uso de isqueiro e das cinzas do cigarro. Durante o abastecimento, mesmo que o motorista ou passageiro fume dentro do carro, o risco ainda permanece. Por isso, respeite essa norma e nunca fume em um posto de combustível em qualquer circunstância.

A gasolina aditivada não é para todos os carros

Mito. A gasolina aditivada pode ser utilizada sem qualquer tipo de restrição. Carros flex podem alternar entre gasolina comum e aditivada sem nenhum problema. Os automóveis novos também pode ser abastecidos com esse tipo de combustível. A recomendação é que os veículos com mais de 30 mil quilômetros rodados utilizando gasolina comum façam a troca gradativa pela aditivada. O importante é não fazer a substituição brusca da comum para a aditivada, pois isso pode ocasionar o entupimento dos bicos injetores e dos carburadores.

Nós publicamos uma matéria aqui no blog explicando detalhadamente as diferenças entre a gasolina comum e a aditivada e quando usá-las. Clique aqui para conferir.

Encher o tanque até a boca causa problemas

Verdade. O cânister, um filtro de carvão localizado no tanque, deve receber apenas vapor. Quando preenchido com combustível, ele pode ser danificado. Além disso, encher o tanque até a boca pode implicar no derramamento de combustível sobre a pintura do carro, causando manchas.

Encher o tanque bem de manhã é mais vantajoso

Mito ou verdade? Bem, depende! É verdade que quando a temperatura aumenta o volume do combustível se expande. A variação de 10º

C na temperatura do local de armazenamento do combustível pode significar, mais ou menos, um diferencial de 8 gramas por litro em seu peso. Para ser de fato vantajoso abastecer de manhã, a temperatura da noite tem que ter sido bem mais baixa do que a prevista para o dia.

Os postos de combustíveis são obrigados a fazer testes de qualidade

Verdade. Existem leis e regulações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) que exigem a realização de testes de qualidade quando solicitados pelo consumidor. A verificação é simples e gratuita.

Um dos testes que você pode pedir é o de proveta. Ele é realizado para identificar se a quantidade de etanol presente na gasolina está dentro do padrão de 27%. O teste é em feito em um tubo onde o combustível é misturado a uma solução de água e sal. Os atendentes dos Postos Ruff são treinados para oferecer essa e outras análises de qualidade.

Você tem alguma dúvida relacionada aos mitos e verdades de postos de combustíveis? Deixe a sua pergunta aqui nos comentários.

 

Busque no blog: