Categoria: Mercado de Combustíveis | Blog

Como abrir um posto de gasolina? 6 dicas imperdíveis

Com o aumento de automóveis circulando pelas cidades do país, abrir um posto de gasolina pode ser uma ideia muito boa para quem deseja investir em um novo negócio. Porém, para que o empreendimento se torne um sucesso, é fundamental ter informações claras sobre tudo que deverá ser providenciado antes de colocar seu plano em ação.

Baseados nisso, reunimos nesse artigo 6 dicas indispensáveis para a inauguração perfeita de um posto de combustíveis, desde a localização ideal, escolha de uma bandeira, até as questões legais. Aproveite o conteúdo e tire suas dúvidas!

1. Entenda o mercado

Assim como em qualquer outro ramo de atuação, o empresário que pretende abrir um novo negócio no setor de combustíveis precisa estudar muito bem o mercado antes de iniciar suas atividades e também manter-se atualizado às novas informações que surgirem ao longo do tempo.

Por isso, é fundamental que alguns fatores sejam estudados inicialmente, como, por exemplo o público que irá atender, seus concorrentes, os valores que poderão ser cobrados e, principalmente, os dados e as perspectivas econômicas deste segmento no país.

Assim, você estará pronto para implantar ótimas estratégias, se destacar em relação à concorrência, oferecer produtos exclusivos em sua loja de conveniência ou, até mesmo, disponibilizar serviços que ainda não são oferecidos na região. Afinal, por mais que a procura por combustíveis seja alta, existem diversos postos espalhados pelo Brasil e você precisará fazer a diferença para fidelizar seus clientes.

2. Escolha a melhor opção de bandeira

Sobre as bandeiras, atualmente, você pode optar por dois caminhos antes de abrir um posto de gasolina: escolher pela bandeira branca ou adotar uma exclusiva de alguma distribuidora.

Na primeira opção, você terá que arcar com todos os gastos na construção do seu empreendimento, porém terá flexibilidade para escolher um fornecedor que irá realizar o abastecimento das suas bombas de combustíveis.

Já ao adotar uma bandeira específica, os custos (parciais ou totais) de montagem e manutenção do seu negócio será subsidiado pela distribuidora e, com isso, ela ganhará exclusividade para fornecer a gasolina, o álcool e o diesel comercializados em seu posto.

Vale destacar que ao escolher essa opção, você terá uma segurança maior com relação à qualidade do combustível oferecido aos seus clientes e também poderá prever oscilações nos preços praticados.

3. Defina a localização ideal

Sabemos que o principal objetivo de um proprietário de posto de gasolina é ver seu estabelecimento cheio de clientes, afinal, isso é o que garante o sucesso desse tipo de negócio.

Mas, para que isso aconteça, é fundamental que ele esteja instalado em uma boa localização — próximo a pontos movimentados e bem iluminados da cidade —, que tenha placas com fácil visualização e que os motoristas consigam acessá-lo com segurança, sem que seja preciso alterar drasticamente o seu trajeto.

Uma vantagem desse segmento é que quando não há um valor alto para ser investido em regiões centrais ou avenidas e ruas com um maior fluxo de veículos, você pode apostar em locais estratégicos dentro dos bairros, já que esse é um produto com alta procura em praticamente todos os lugares.

Ainda, depois de definir este item, é importante verificar junto à prefeitura se a área escolhida é apropriada para a construção de um posto de combustível.

4. Conheça as leis para abrir um posto de gasolina

Agora, sobre as leis obrigatórias para abrir um posto de gasolina, você deverá cadastrar o seu posto na Secretária da Receita Federal, Secretária Estadual da Fazenda, obter o alvará de funcionamento na Prefeitura Municipal e no Corpo de Bombeiros, e realizar os devidos procedimentos na Caixa Econômica Federal e nos sindicatos.

Além disso, é imprescindível estar de acordo com as leis do Conselho Nacional do Meio Ambiente, as normas da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biodiesel e com toda a legislação e exigências estaduais e municipais que regulamentam a atividade dos postos de combustíveis.

5. Construa uma boa estrutura

Para montar uma estrutura impecável para o seu estabelecimento você deve ter em mente que existem instalações externas, subterrâneas e adicionais a serem feitas.

As instalações externas abrangem toda a área de circulação dos veículos, como o espaço reservado para a entrada, manobra e saída dos carros, a cobertura do posto, as bombas de combustíveis e o local destinado ao caixa.

Já as subterrâneas configuram os tanques para armazenamento de combustíveis instalados abaixo do comércio, que devem ser colocados da maneira mais segura possível, devido à periculosidade do material.

E as instalações adicionais são aquelas que não estão ligadas diretamente à venda do produto, mas que mantém o posto funcionando. São elas: adoção de sistemas de segurança, montagem de uma loja de conveniência e equipamentos para oferecer serviços de borracharia, mecânica, lava rápido, entre outros.

Vale ressaltar que para manter essa estrutura é necessário realizar manutenções continuamente e, assim, prevenir danos, acidentes e desgastes naturais.

6. Tenha uma equipe eficiente

Uma verdade é clara: um atendimento de qualidade pode fidelizar mais clientes do que preços baixos. Pois, no momento que não houver promoções no mercado, o cliente que teve uma experiência positiva vai optar por voltar outras vezes ao seu estabelecimento e, ainda, irá indicá-lo para pessoas conhecidas.

Por isso, é essencial treinar a sua equipe para que ela desenvolva habilidades de atendimento, conhecimento específico sobre o setor de combustíveis e, no caso dos frentistas, capacidade para fazer reparos mecânicos básicos.

Após seguir essas instruções, abrir um posto de gasolina será uma tarefa muito mais simples e você terá bons frutos com o seu novo negócio. Conte com a Ruff para colocá-las em prática. Ficou alguma dúvida? Deixe sua mensagem nos comentários. 

Descubra como é feita a armazenagem de combustível nas bases

Um ponto decisivo na cadeia de combustíveis é a armazenagem dos produtos. Esta é uma importante etapa que garantirá a qualidade final da mercadoria para os postos e consumidores finais. Além disso, ela é capaz de reduzir os custos e aumentar a eficiência da logística. Ficou curioso para saber como é feita a armazenagem de combustível? Então,confira a matéria!

Caminho

Primeiro, vamos entender o fluxo da gasolina e do diesel. O início do ciclo acontece nos campos de petróleoe, a partir deles, há a extração e o transporte para as refinarias. O próximo destino são os tanques de armazenagem das distribuidoras. Para chegar neles, os combustíveis são transferidos das refinarias por modal dutoviário, rodoviário ou aquaviário.

Já quando o assunto é o etanol, a diferença está na matéria-prima e na síntese. A produção desse combustível é realizada em usinas.

Armazenagem de combustíveis

Os estoques desses produtos envolvem diversos estudos a fim de desenvolver tecnologias capazes de proporcionar a segurança e a manutenção da qualidade dos combustíveis. Se quiser saber por que você deve se preocupar com o combustível que abastece o seu veículo, clique aqui.

Outro ponto que não deve ser esquecido é a regulamentação necessária para oferecer os serviços conforme as leis (falaremos disso mais para frente). As distribuidoras também devem estar atentas ao manuseio e aos prazos de validade dos combustíveis, além de realizar a limpeza adequada das instalações e se preocupar com fatores externos como, por exemplo, o controle da temperatura e da exposição à luz.

A manutenção da infraestrutura é uma atividade complexa e específica. Por isso, necessita de profissionais qualificados e atentos para evitarem-se acidentes. Estes são mais propensos a acontecer, devido tamanho de algumas instalações e riqueza de detalhes que as operações relacionadas exigem.

Padronização

Realizar um planejamento estratégico e padronizá-lo é uma forma de reduzir incidentes e eliminar possíveis problemas previamente detectados. Essa medida favorece a produtividade e a segurança dos trabalhadores. As distribuidoras devem realizar um checklist de inspeção não só dentro das suas propriedades, mas também nos veículos, motoristas e documentos inseridos no ciclo dos combustíveis.

Tudo deve ser bem sinalizado, transparente e eficiente para facilitar e agilizar os processos.Essas questões ainda beneficiam a comunicação individual e entre colaboradores, reduzindo os riscos relacionados aos desentendimentosevitáveis.

Principais normas e regras

Como mencionamos anteriormente, para estar em conformidade com as leis, a armazenagem de combustível deve cumprir diversos requisitos definidos na legislação. Esses itens são importantes para a preservação do meio ambiente e para as pessoas que vivem nas redondezas. E ainda contribuem para um local de trabalho mais favorável a saúde. Confira as principais leis:

- Norma Regulamentadora 20: esta normatrata dos requisitos mínimos para a segurança e saúde dos trabalhadores, relacionados aos riscos dos produtos inflamáveis e combustíveis líquidos;

- Resolução ANP 41: diz respeito à atividade de revenda dos combustíveis;

- Resolução CONAMA n° 273: refere-se aos riscos ambientais relacionados ao serviço;

- Lei 9.605: para proteção do meio ambiente e punição dos crimes ambientais;

- Normas técnicas da ABNT: regram os procedimentos para o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis.

Meio ambiente

Os combustíveis são potenciais poluidores da natureza, geradores de gases e provocadores de acidentes. Assim, qualquer distribuidora está sujeita a ter vazamento de produtos e sofrer as consequências desse imprevisto. Por isso, é importante que as empresas cumpram as leis e, mais do que isso, tenham consciência dos seus atos para o ecossistema.

É importante fazer a gestão ambiental para economizar recursos e reduzir os impactos para o meio ambiente. E da mesma forma é preciso gerir os riscos relacionados às atividades que compõe a armazenagem de combustível. Conhecer os potenciais pontos problemáticos é indispensável para definir e estabelecer planos assertivos em caso de acidentes.

A manutenção e a inspeção também são indiscutíveis para minimizar as chances de casualidades, contaminação de corpos d’água, solo e ar, incêndios, explosões etc.

Bases da Ruff

A Ruff possui três bases de armazenamento, sendo duas no interior de São Paulo, nas cidades de Paulínia e Ribeirão Preto, e outra na cidade de Careaçú, no sul de Minas Gerais. Ambas contam com um rigoroso controle técnico e operacional. A tecnologia permite que softwares de gestão sejam aliados estratégicos, que viabilizam o monitoramento das movimentações dos produtos, fatores de correção, saldos e outras informações significativas.

Um exemplo de tecnologia utilizada na rotina dos procedimentos é o SmartCard de automação no carregamento. Trata-se de um cartão com microprocessador e memória embutidos. Esses itens permitem o armazenamento de dados eletrônicos de forma segura, pois o cartão inteligente conta com sofisticados mecanismos de proteção.

Todas as bases dispõemde instalações modernas e automatizadas, que facilitam o manejo e proporcionam mais eficiência e segurança. Elas recebem os produtos diretamente da Petrobras e contam com amplos parques de tanques. Essa relação simplificadareduz o tempo de ressuprimento e determina menores custos logísticos. Além disso, aumenta a eficiência do transporte e a confiabilidade dos combustíveis.

Para garantir a qualidade dos produtos, a infraestrutura tem o suporte de um laboratório autorizado pela ANP, que emite boletins de conformidade a fim de comprovarem a legalidade dos combustíveis. As bases também oferecem estacionamento de espera para os caminhões tanques, sala de espera e apoio para os motoristas, e salas para locação para instalações de filiais da empresa.

Os colaboradores recebem treinamentos e qualificação para operarem as modernas ferramentas de trabalho e são incentivados a trabalharem com total comprometimento. Tudo isso faz da Ruff uma opção excelente para a armazenagem de combustível e não é à toa que a empresa tem tanta confiança do mercado e credibilidade no setor.

Viu só quantas coisas compõem o serviço de armazenagem? Deixe a sua opinião nos comentários!

Os maiores produtores de petróleo do mundo

O petróleo é obtido a partir de fontes fósseis e está disponível na natureza por tempo limitado. Esse recurso precioso começou a ser explorado como combustível na década de 1920, tornando-se fundamental no dia a dia das pessoas. Atualmente, ele é a fonte energética mais utilizada no planeta.

Mas, você sabe quais são os maiores produtores de petróleo do mundo? Nesta matéria, nós contamos quais países são esses e ainda explicamos como tem sido a atuação do Brasil nesse mercado. Então, vamos lá!

1. Estados Unidos

Nos últimos anos, o país norte-americano tem ocupado a primeira posição na lista dos maiores produtores de petróleo do mundo. De acordo com o levantamento anual realizado pela International Energy Statistics (EIA), os Estados Unidos produzem cerca de 15 milhões de barris por dia.

O país se tornou líder mundial na produção de petróleo pela primeira vez em 1975, quando ultrapassou a Arábia Saudita. Depois de ter caído no ranking, os Estados Unidos se destacaram novamente em 2012 e em 2013 voltaram a superar o país saudita.

2. Arábia Saudita

A região do Oriente Médio é bastante conhecida por causa de suas inúmeras reservas de petróleo. Aproximadamente, 65% das reservas mundiais estão localizadas naquele território. Bastante, né? O grande destaque da região é a Arábia Saudita, maior exportador de petróleo no mundo e, por muitas vezes, foi o maior produtor em âmbito global.

Segundo a International Energy Statistics, em 2017, a Arábia Saudita produziu cerca de 12 milhões de barris por dia. Esse número expressivo faz do petróleo a principal atividade econômica do país, a qual é fortemente controlada pelo governo. Nos últimos anos, a receita petrolífera deles vem caindo e, como já contamos, perdendo espaço para os Estados Unidos.

3. Rússia

Na terceira posição, a lista da EIA traz a Rússia como um dos maiores produtores de petróleo do mundo. Em 2017, foram produzidos cerca de 11 milhões de barris por dia. Em outubro de 2018, o país atingiu a marca de 11,41 milhões de barris por dia.

Para o começo de 2019, o ministro da Energia do país já anunciou uma redução de até 60 mil barris por dia. Isso representa uma produção de aproximadamente 11,35 milhões de barris por dia, ficando abaixo das metas estabelecidas para este ano.

4. Canadá

Em quarto lugar, mas bem abaixo dos três primeiros colocados, está o Canadá. Em 2017, o país fechou o ano produzindo uma média de 4,9 milhões de barris por dia. Uma das grandes conquistas do setor petrolífero canadense foi em 2014, quando a produção do país cresceu em 7.9% e superou a China.

O Canadá ganhou destaque no mercado mundial do petróleo depois da Segunda Guerra Mundial, período em que encontraram grandes reservas por lá. Hoje, o petróleo e o gás natural são os principais recursos minerais do país, havendo perspectivas positivas em relação a uma futura expansão das exportações.

5. China

Em 2017, a China produziu uma média de 4,77 milhões de barris por dia, ficando abaixo da marca de 4,87 milhões conquistada em 2016. Em 2018, o país apresentou resultados melhores, chegando a produzir 12,49 milhões de barris por dia em setembro, conforme dados do Gabinete Nacional de Estatísticas.

Segundo o EIA, a maior parte da extração do petróleo chinês é feito em terra e apenas 20% é oriunda de reservas offshore. Uma curiosidade é que além de se destacar na produção de petróleo, o país também é um dos maiores consumidores mundiais do recurso fóssil. Nesse quesito, a China só fica atrás dos Estados Unidos.

E o Brasil?

O Brasil aparece na nona posição da lista divulgada pelo EIA, tendo produzido, em 2017, cerca de 3,36 milhões de barris por dia. Depois da descoberta das reservas na camada pré-sal, o país passou a ter mais destaque na produção e exportação do mineral.

De acordo com Mauro Ferreira Coelho, diretor de Estudos de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Empresa de Pesquisas Energéticas (EPE), o Brasil tem capacidade para se tornar um dos cinco maiores exportadores de petróleo até 2026. A previsão positiva é baseada no crescimento constante da produção brasileira. A estimativa do EPE é que o país alcance a marca de 5,2 milhões de barris por dia.

Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep)

A Opep foi estabelecida em 1960 com o intuito de fortalecer os países produtores de petróleo. O grupo define estratégias para a fabricação de petróleo e determina cotas de produção para os países membros a fim de elevar a lucratividade na hora da exportação.

Atualmente, fazem parte da organização: Angola, Arábia Saudita, Argélia, Equador, Emirados Árabes, Irã, Iraque, Kuwait, Líbia, Nigéria, Catar e Venezuela. Juntos, esses países possuem cerca de 75% das reservas mundiais de petróleo. Pouco mais de 40% do petróleo utilizado no planeta é proveniente dos países da Opep.

Gostou de conhecer os maiores produtores de petróleo do mundo? Conte para gente nos comentários.

 

8 curiosidades sobre o etanol

O Brasil e os Estados Unidos, juntos, produzem cerca de 90% de todo o etanol consumido no mundo. Embora a produção desse combustível seja abundante por aqui, muitos consumidores desconhecem alguns fatos sobre sua utilização e importância. Por isso, nós reunimos aqui oito curiosidades a respeito desse biocombustível. 

1. O Brasil é o maior consumidor de etanol como combustível

O etanol é utilizado como combustível em mais de 40 países. No entanto, na maior parte dos casos, ele costuma ser misturado a outros combustíveis. Quando o assunto é a substituição da gasolina pelo etanol, o Brasil é o grande líder mundial. Além disso, o país é referência na produção e utilização do etanol hidratado.

Na América do Sul, depois do Brasil, o Paraguai é o país que mais utiliza o etanol, adicionando cerca de 24% do combustível à gasolina. O Chile e a Argentina vêm na sequência. Os dois países acrescentam, mais ou menos, 5% de etanol.

2. O etanol brasileiro possui 4% de água

O Brasil, como contamos, é o país que utiliza a maior quantidade de etanol no combustível. No entanto, a proporção é equivalente a, mais ou menos, 96% e não a 100% como muitas pessoas acreditam ser. O etanol hidratado comercializado nos postos de combustíveis possui cerca de 5% de água, a qual é oriunda do próprio processo de fermentação.

3. O etanol também é utilizado na aviação

O etanol pode ser utilizado para abastecer ônibus, caminhões, motocicletas e, claro, automóveis. Mas, você sabia que ele também pode ser o combustível de aeronaves? Pois é! A Embraer lançou, em 2005, o Ipanema EMB, o primeiro avião movido a etanol. Usado para pulverizar lavouras, ele se tornou uma opção vantajosa por conta da economia com combustível, mesmo deixando a deseja no quesito eficiência energética.

Embora existam algumas aeronaves movidas a etanol, esse não é o biocombustível mais popular ou recomendado para essa modalidade de transporte. O bioquerosene, obtido de óleos vegetais, é a grande aposta para o futuro mais sustentável da aviação.

4. Etanol e frio não é uma boa combinação

Em baixas temperaturas, funcionar um carro movido a etanol pode ser um problema. Isso porque o combustível derivado da cana-de-açúcar perde a sua capacidade de entrar em combustão quando os termômetros estão marcando abaixo de 13ºC.  

Para contornar essa situação, os carros flex contam com um reservatório de gasolina para ajudar na hora de dar partida. Por isso, ele deve estar sempre cheio no inverno, preferencialmente, de gasolina aditivada para auxiliar na ignição do motor.

5. Você pode utilizar etanol em carro flex sempre que quiser

E por falar em carro flex, existem vários mitos e dúvidas relacionadas à utilização de etanol nesse tipo de automóvel. Muitos até perguntam se existe um momento ideal para abastecer o carro com álcool ou se há uma quantidade específica que deva ser mantida no tanque. A verdade é que você não precisa ter esse tipo de preocupação, já que o veículo bicombustível pode receber tanto gasolina e etanol a qualquer momento e em qualquer quantidade.

Quer saber mais detalhes sobre como abastecer carro flex? Clique aqui e confira a matéria especial que publicamos sobre o assunto.

6. O primeiro carro movido a etanol do Brasil

Desde 1938, o etanol vendo sendo utilizado no Brasil. Nessa época, ele começou a ser adicionado à gasolina. Anos mais tarde, em 1979, foi lançado aqui o primeiro movido a álcool: o Fiat 147.

7. O etanol não é feito só de cana-de-açúcar

O etanol não vem apenas da cana-de-açúcar. Ele pode ser extraído, por exemplo, a partir do milho. Esse procedimento é bastante comum no Estados Unidos, país classificado como maior produtor de etanol no mundo. Em comparação com o biocombustível obtido da cana, o gerado a partir do milho é fabricado em menos tempo, além do fato de o grão render mais.

8. O etanol é um combustível menos poluente

Em comparação com a gasolina, o etanol é um combustível bem mais limpo. Isso porque ele produz menos de 70% de gás carbônico. A explicação reside no fato de ele ser obtido de uma planta, o que reduz consideravelmente a emissão de CO2 na hora de sua fabricação.

Você tem alguma dúvida sobre o uso do etanol? Deixe a sua pergunta nos comentários.

 

Como os postos podem aproveitar o final de ano para vender mais?

Final de ano é época de pegar a estrada para visitar a família, ir à praia ou seguir em direção a algum outro lugar especial para curtir o réveillon. Esse aumento no fluxo de viagens é responsável por intensificar a procura por postos de combustíveis e aquecer as vendas.

Além de abastecer, é frequente a busca por serviços de revisão, peças e outros produtos típicos dessa época do ano. Por isso, os estabelecimentos precisam ficar atentos para aproveitar bem essa chance de conquistar novos clientes e vender mais. Como? Confira as dicas!

1. Ofereça serviços de revisão

Como nessa época do ano o número de pessoas viajando de carro aumenta significativamente, é preciso preparar toda a equipe do posto e o estoque de peças para a alta procura por revisão. Os motoristas estão cada vez mais conscientes da importância desse procedimento e sempre buscam pelo serviço antes de pegar a estrada.

Os postos que já oferecem troca de óleo, calibragem dos pneus e verificação de água no radiador podem aproveitar o final de ano para fazer campanhas de revisão. Uma sugestão é oferecer um combo de serviços básicos caso o motorista abasteça acima de uma determinada quantidade.

O filtro de combustível também precisa de atenção especial antes de uma viagem. Então, garanta que o seu posto tenha profissionais capacitados para checar se há vazamentos em alguma peça do sistema. As mangueiras, o tanque e os filtros são as partes mais propícias a apresentar irregularidades. 

2. Reforce o estoque de peças, óleos e lubrificantes

A troca de lubrificantes é praticamente obrigatória para quem vai viajar de carro. Por isso, tenha bastante atenção com o estoque de óleos e lubrificantes nessa época do ano para não deixar o produto em falta. Ofereça sempre os melhores produtos, de preferência aqueles que são top de linha.

Ter algumas peças básicas à disposição dos clientes também pode ajudar a incrementar o faturamento nessa época do ano. Algumas delas são: filtros, velas, cabos, correias, limpadores de para-brisa, faróis e lâmpadas. O pneu é outro item que pode ser bastante procurado nesse período. Se o seu posto ainda não vende esse produto, avalie a possibilidade.

3. Crie ações promocionais e sorteios

O Natal é uma ótima oportunidade para criar campanhas com o intuito de atrair o público e aumentar as vendas no posto de combustível. Vale a pena, por exemplo, distribuir cupons de desconto ou desenvolver ações para sortear vales, viagens ou até mesmo um carro. Os consumidores costumam ficar bastante empolgados com esse tipo de promoção.

Ah, e para que a campanha de final de ano seja um sucesso, não se esqueça de divulgá-la. Para isso, invista em marketing digital (redes sociais, anúncios no Google e etc.), em panfletos e banners que possam ser colocados em locais estratégicos. Seja criativo para atrair as pessoas e alavancar o seu faturamento!

4. Loja de conveniência

Outro espaço do posto de combustível bem procurado no final do ano é a loja da conveniência. Isso porque a época é de festas e muita gente pode parar no seu posto para comprar bebidas, gelo ou alguns aperitivos para serem degustados durante a viagem. Então, o cuidado para manter o estoque em dia deve ser redobrado!

Além dos produtos já habituais de uma loja de conveniência, nesse período aqueles itens indispensáveis no Natal e no Ano Novo não podem faltar das prateleiras. Quais? O bom e tradicional panetone, champagne, frutas secas, peru e chester. Vale ainda criar kits ou cestas especiais de Natal para as pessoas poderem levar de presente para alguém. 

5. Invista em uma decoração atrativa

A cereja do bolo para conquistar mais clientes no final do ano é a decoração natalina. Não deixe o mês de dezembro passar em branco, como se fosse só mais um mês normal. As pessoas gostam de sentir o clima de natal nos lugares por onde passam, inclusive nos postos de combustíveis.

A dica, então, é investir em uma decoração bonita com iluminação especial, enfeites e alguns banner ou letreiro desejando boas festas. Mas, lembre-se de que uma decoração exagerada pode ficar “brega” e poluir o visual. Por isso, preze por algo mais clean e harmonioso. E não se esqueça de decorar a loja de conveniência com uma árvore de natal.

Você tem alguma dúvida ou dica extra? Conte para gente nos comentários!

Busque no blog: