Blog

A baixa produção gera a necessidade de importar etanol

Já havíamos observado que a produção dessa safra seria reduzida por causa do baixo índice de ATR (Açúcares Totais Recuperáveis), da chuva e da seca de 2010. Esse fenômeno, que tem afetado principalmente as usinas do Centro-Sul, pode antecipar o final da safra de cana-de-açúcar para outubro. Em geral esse fim ocorreria no mês de dezembro, mas diante dessa situação existe a possibilidade das usinas anteciparem essa data e consequentemente o preço do etanol aumentar.

A Unica (União das Indústrias da Cana-de-açúcar) afirma que algumas usinas deverão rever seus cronogramas anuais de acordo com a sua produção. Sabemos ainda, que as usinas mais afetadas estão no estado de São Paulo, Minas Gerais e note do Paraná e que algumas já anunciaram essa antecipação.

A questão do ATR tem grande influência nesse fenômeno, uma vez que os canaviais do Centro-Sul já estavam com produtividade reduzida. Como eles estão velhos e as frentes frias tem sido intensas, a qualidade da cana foi prejudicada devido ao seu florescimento. O problema é que esse processo faz com que a planta tenha um crescimento acima da média, utilizando os nutrientes de sua parte de baixo que são matéria-prima do etanol e do açúcar. O adiantamento do início da colheita poderia amenizar esse problema, sendo que o tempo normal seria de 12 meses. A grande consequência dessa questão é que o baixo ATR leva a redução de preço e ainda ao baixo rendimento.

Mesmo com as linhas de crédito do governo para o setor sucroenergético, o aumento da produção pode ocorrer somente no final de 2012, afinal o canavial leva entre oito e nove meses para começar a produzir. Para melhorar essa situação para os próximos anos, o governo precisará continuar a apoiar esse setor, proporcionando novos incentivos e estratégias.

Ainda nesse ano a Petrobrás Bicombustível (PBio) pretende aumentar a importação de etanol para a entressafra, segundo informou seu presidente Miguel Rosseto. Informou também que todas as companhias do setor compraram juntas aproximadamente 400 milhões de litros em 2011, frisando o que já foi importado e que a PBio ainda pretende comprar mais até o final do ano. Essa ação poderá compensar a baixa produção de etanol, segurando a demanda na entressafra e ainda evitando um grande aumento dos preços.

No entanto Rosseto disse que o Brasil continuará a exportar etanol, atingindo até 2 bilhões de litros nesse ano, segundo previsões baseadas em contratos de longo prazo. Embora as exportações e importações estejam aumentando e possivelmente mantendo o equilíbrio no mercado, ainda devemos continuar a observar essa situação. Assim podemos planejar para as novas ações do governo e para a próxima entressafra.

Conheça os seus direitos ao abastecer

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Bicombustíveis (ANP) divulgou recentemente os direitos do consumidor na hora do abastecimento através de 10 dicas. Considerando importância desse conteúdo resolvemos ressaltar alguns itens para os clientes e revendedores que acompanham o blog da Ruff. Assim o consumidor conhece seus direitos e os revendedores continuam a acompanhar essas regras. Veja abaixo o que selecionamos.

1. Confira a origem do combustível: O estabelecimento deve deixar clara a procedência de seus produtos. Em postos sem distribuidoras exclusivas, chamados “bandeira branca”, é necessário divulgar em cada bomba a distribuidora que fornece o combustível.

2. Bomba com selo do Inmetro: Caso você desconfie de uma diferença entre a quantidade de combustível que você pagou e a que de fato foi inserida em seu tanque, não hesite em pedir um teste de bomba em sua presença. Sendo obrigatório para todos os postos, o teste de vazão é feito por um representante do estabelecimento, utilizando a medida-padrão de 20 litros certificada pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade). A diferença máxima permitida deve ser de 100 ml para mais ou para menos. Se o resultado for maior do que esse limite, entre em contato com a ANP.

3. Peça o teste da proveta: Se você acredita que a qualidade da gasolina foi alterada, peça o “teste de proveta”. Essa verificação mede a porcentagem de etanol misturado a gasolina. Saiba mais sobre o teste na área de Dúvidas Freqüentes da ANP e acesse o link Qualidade dos Combustíveis.

4. Verifique o etanol hidratado: O hidratado deve estar com aparência límpida, isento de impurezas e sem coloração alaranjada. Como a aparência do etanol anidro é alaranjada, essa cor pode significar irregularidade no hidratado. Para saber também se o combustível é ideal para motores, verifique se seu teor alcoólico está entre 95,1% e 96,6% se for comum e entre 95,5% e 97,7% se for premium.

Para ver o conteúdo completo, acesse o site da ANP ou faça download aqui. Caso você suspeite de alguma irregularidade entre em contato com a ANP através de seu site em Fale Conosco ou pelo telefone 0800 970 0267. Ao entrar em contato procure fornecer o maior número de dados possível sobre o estabelecimento, como CNPJ, razão social, endereço e distribuidora. Também vale lembrar que é preciso ter a nota fiscal.

Caso você tenha alguma dúvida sobre qualquer uma das dicas, mande suas perguntas para a Ruff que mandaremos uma resposta para você. Esperamos que com esse conteúdo você possa evitar essas irregularidades e consequentemente ajudar a reduzi-las no país.

Domingos Malfará é entrevistado sobre o Congresso de Biodiesel 2011

Entre os dias 27 e 29 de julho ocorreu o Congresso de Biodiesel 2011. Como esse evento discutiu temas importantes para o setor, decidimos compartilhar com você mais informações sobre o assunto.
Para isso realizamos uma entrevista com Domingos Benedito Malfará, participante desse evento como diretor do Brasilcom (Sindicato das Distribuidoras Regionais Brasileiras de Combustíveis). Domingos também é diretor executivo da Ruff e se disponibilizou a responder nossas perguntas, veja a seguir a entrevista.

1. O que é esse evento?

Domingos: O Congresso de Biodiesel 2011 tem como objetivo discutir assuntos relevantes para o setor. O tema desse ano foi “Além do B5*”.

2. Qual é a sua finalidade?

D.: Apresentar a atuação dos diversos atores do segmento e o atual estágio do biodiesel no Brasil, para então refletir sobre a viabilidade de ir além do B5.

3. Como foi a participação do Brasilcom nesse evento?

D.: O Brasilcom foi convidado a presidir a mesa no segundo dia do evento.

4. Quais os principais temas abordados?

D.: -Evolução do Mercado Nacional e Balanço Socioeconômico;

-Analises: Dinâmica de Mercado, Incentivos;

-Desafios Internos e para Exportação;

-Experiência Mercado Europeu;

-Diversificação de Fontes Alternativas de Matéria-prima;

- Biodiesel de Cana

5. De que forma esse evento pode influenciar o mercado?

Pode contribuir para formar ou ratificar opiniões e ainda desencadear sugestões em direção a melhorias do programa.

6. Quais foram as principais conclusões do evento?

Há grandes virtudes no programa para o desenvolvimento econômico, a inclusão social e principalmente melhoria ambiental. Foi observado que o biodiesel tem alguns desafios a enfrentar nas questões de logística, modelo de comercialização, qualidade, manuseio e armazenagem. Foi possível ainda concluir que existe uma sinalização clara de que podemos ir além do B5 internamente. No entanto, ainda temos barreiras internacionais e em especial européias para exportação, com relação à certificação ambiental e a necessidade de algumas alterações de especificação de nosso produto.

* B5: Diesel com mistura obrigatória de 5% de biodiesel.

Você já conhecia esse congresso? Gostou do que foi discutido? Saiba mais sobre o evento através do site Biodiesel Congress. Aproveite também para deixar suas perguntas e comentários abaixo, pois gostamos de manter o diálogo com vocês.

A situação atual do Etanol e suas previsões para o futuro

Comentamos há pouco tempo em nosso blog sobre a decisão do governo que tinha o intuito de diminuir a proporção de etanol anidro na gasolina de 25% para 18%. Isso foi decidido em razão da menor produtividade da safra desse ano para evitar a falta etanol no mercado interno. No entanto, o governo já está com dúvidas se essa é a melhor medida para controlar o preço e a demanda do etanol.

Embora seja uma ação muito considerada, ela pode não ser colocada em prática devido ao tempo que leva para surtir efeito, o risco de voltar a pressionar os preços da gasolina e a atual estabilidade do mercado. O próprio setor sucroalcooleiro reclama da mudança de percentual por ser imprevisível e a curto prazo, não favorecendo a formação de estoques.

Como de acordo com técnicos a situação chegou a um equilíbrio, a prioridade passou ser o estabelecimento de metas para 2012. Entre elas está a possibilidade de o BNDES e outros bancos públicos só financiarem novos projetos de plantas de etanol e não de açúcar. Está previsto também maior verba para produção e estocagem desse combustível.

O governo também pretende melhorar essa situação a partir do setor automotivo. Seu intuito é incentivar a fabricação de veículos com motores de melhor desempenho, através da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Dessa forma a demanda por combustíveis se tornaria menor no país, uma vez que são carro que de maior rendimento. Essa ação já está sendo tratada com as montadoras.

Embora seja afirmada uma atual estabilidade de preços, analistas já prevêem que a oferta de cana será 25% inferior à demanda de etanol. Segundo estudos a maioria dos automóveis flex são abastecidos com esse combustível, sendo que a frota bicombustível brasileira contava com 2,79 milhões de veículos em 2010. Já em 2003 contava com apenas 48,2 mil automóveis, evidenciando o grande crescimento da demanda pelo etanol.

Essa necessidade tende a aumentar, uma vez que só nos últimos cinco anos tivemos um crescimento de frota flex em 23% ao ano sendo que o aumento do volume de cana moída foi de apenas 8%. De acordo com analistas, se essa taxa de aumento da frota se mantiver, teremos uma defasagem de 25% entre oferta e demanda nos cinco anos seguintes. Calcula-se que serão produzidas 780 milhões de toneladas, porém a necessidade projetada será de 980 milhões. Isso ainda pode significar um déficit de 40% em dez safras e insuficiência já na safra de 2011.

Mesmo com essa possível situação, sabemos que o governo já está tomando atitudes para evitar a escassez de combustíveis e consequentemente seus preços elevados. Para evitar surpresas, devemos continuar a observar essas medidas e também planejar de acordo. Por isso, continue acompanhando de perto com a Ruff e nos mande suas dúvidas e nossos comentários.

Fonte:
Estadão

Parabéns Revendedores!

Hoje é o Dia Nacional do Revendedor! Por isso a Ruff gostaria de aproveitar esse momento para parabenizá-los, pois sua qualidade e atendimento fazem a diferença. Queremos agradecer também por todos esses anos de trabalho em conjunto.

Para você que conhece o padrão de atendimento Ruff e também quer ser revendedor, conheça mais sobre a implantação de bandeiras em nosso outro texto. Para maiores informações entre em contato através do telefone (19) 2101-7833 ou pelo site da Ruff.

Gostamos de reconhecer que o trabalho dos revendedores é o grande diferencial para os clientes. Acreditamos também que o sucesso é fruto de uma equipe que trabalha com eficiência e qualidade. Parabéns Revendedores!

Busque no blog: