Categoria: Ruff | Blog

O que rolou no Rally dos Sertões 2018

A última edição do Rally dos Sertões deixou a sua marca nas estradas de Goiás, Bahia, Piauí e Ceará. A competição contou com a estreia do piloto Edson Di Nole, que fez bonito e conquistou a quarta posição na categoria Production T2. Nesta matéria, nós contamos para você todos os detalhes desse grande evento e como foi para Di Nole realizar o sonho de participar do rali.

Desbravando o Rally dos Sertões

A história do Rally dos Sertões começou em 1991 e, ao longos desses anos, ele se consolidou como um dos maiores e mais importantes ralis realizados no Brasil. O nome da competição é uma referência a uma das grandes obras literárias do Brasil: Os Sertões, de Guimarães Rosa.

Todos os anos, essa aventura repleta de poeira, lama e velocidade corta paisagens de tirar o fôlego e cruza caminhos compostos por realidades culturais e sociais bastantes diversas do nosso país. As mais de 25 edições do Rally dos Sertões já passaram por centenas de cidades de todas as regiões brasileiras e a maior parte das largadas foi dada na cidade Goiânia (GO).

No Rally dos Sertões 2018, realizado do dia 18 a 25 de agosto, os competidores percorreram mais de 3,6 quilômetros entre a capital goiana e Fortaleza (CE). De um ponto ao outro, o roteiro incluiu oito paradas em cidades de Goiás, da Bahia, do Piauí e do Ceará. As paisagens áridas e lamacentas do trajeto dividiram espaço com automóveis, motos, quadriciclos e UTVs.

A estreia de Di Nole no Rally

A Ruff marcou presença no Rally dos Sertões 2018 ao lado de Edson Di Nole, piloto com mais de 30 anos de experiência no automobilismo. A carreira dele é marcada por diversas vitórias, incluindo a atual liderança na categoria ASX RS da Mitsubishi Cup e o título de bicampeão entre os UTVs.

Neste ano, Di Nole estreou no Rally dos Sertões e, para ele, participar dessa competição foi uma grande realização pessoal. “Era o sonho da minha vida correr o Rally dos Sertões. Abri mão de muita coisa para isso. Fiz um monte de loucuras para isso”, afirma o competidor.

Di Nole caiu na estrada a bordo de um Suzuki Jimny e ao lado de seu navegador Vilson Agudinho para disputar a categoria Production T2, uma modalidade composta por carros movidos a gasolina, etanol ou diesel, mas que devem utilizar restritor de ar com admissões especificas para carros aspirados e turbinados. 

Na estrada

Nas primeiras etapas da competição, entre Goiânia e Posse (GO), Di Nole desbravou trechos de areia com piçarra e áreas travadas, incluindo estradas com muitos mata-burros e zonas agrícolas com longas retas. Na terceira etapa, o piloto percorreu 350 quilômetros até Luís Eduardo Magalhães (BA), onde, ao final do dia, conquistou o terceiro lugar na categoria Production T2.

Durante os primeiros dias de competição, Di Nole afirmou ter se surpreendido com os desafios. “O Rally dos Sertões é muito desgastante. Eu não imaginava a dificuldade das especiais, das distâncias. A gente precisa estar muito bem preparado, inclusive psicologicamente, o calor é extremo e desgastante. É sofrido porque nós mesmos estamos fazendo a manutenção. Chegamos a trabalhar no carro até às 4h da manhã e dormir apenas duas horas para largar no dia seguinte, mas é um sonho que estou realizando”, relata o piloto.

Quando Di Nole e Aduginho chegaram à cidade de Barra (BA), na quarta etapa, mantiveram a terceira posição. No dia seguinte, caíram na estrada em direção ao Piauí, enfrentando caminhos cheios de erosões, pedras e depressões. O piloto contornou a dificuldade do trecho e garantiu a permanência no terceiro lugar.

Na penúltima etapa, os competidores seguiram por mais 602 quilômetros de São Raimundo Nonato (PI) até Juazeiro do Norte (CE), onde acabaram caindo para a quarta colocação. No último dia de Rally dos Sertões, Di Nole chegou a Fortaleza após mais de 3,6 mil quilômetros de muita aventura. Ele encerrou a prova em terceiro lugar na categoria Production T2, mas uma penalidade fez com que ele fosse rebaixado para a quarta posição.

A Praia de Iracema, em Fortaleza, foi endereço da festa de encerramento do Rally do Sertões e de comemoração da conquista do Edson Di Nole. “Eu queria muito agradecer o apoio da Ruff Combustíveis por sempre acreditar no nosso potencial e por vários anos ser nosso patrocinador. Terminamos o Rally dos Sertões em quarto lugar na categoria Production T2 e eu queria dedicar essa conquista a toda a família Ruff, por sempre acreditar na gente e nos fornecer o melhor combustível, como diz seu slogan é ‘Energia para Superação’”, declara Di Nole.

Você é fã do Rally dos Sertões? Então, compartilhe está matéria nas redes sociais!

 

RUFF é listada entre as Maiores e Melhores empresas do Brasil

Você sabia que a Ruff está entre as maiores e melhores empresas do Brasil? As principais publicações de economia do país fazem um levantamento anual das corporações que mais se destacaram, como é o caso das revistas Exame e Valor. Nas últimas edições, lançadas em agosto, a Ruff apareceu por mais um ano na lista entre as grandes empresas do país.

Entendendo a classificação das empresas

As listas divulgadas pelas revistas de economia são construídas a partir da análise de dados declarados publicamente pelas empresas, procedimento ligado às políticas de transparência instituídas no Brasil e internamente nas próprias corporações.

A avaliação da revista Exame, por exemplo, levou em consideração os dados de mais de 3 mil empresas. As informações analisadas foram retiradas das demonstrações contábeis publicadas no Diário Oficial de cada estado até maio de 2018. Além disso, a apuração para compor a lista com as Melhores e Maiores empresas do Brasil considerou as respostas de questionários aplicados pela própria revista. 

E qual é o objetivo desse levantamento? De acordo com a própria Exame, a intenção é “medir o desempenho das empresas individualmente”, tomando “como base as demonstrações individuais, e não as consolidadas”.

A edição 2018 da Melhores e Maiores empresas do Brasil traz dados sobre companhias que são destaque em seus segmentos. No total, 20 setores da economia estão presentes na lista divulgada neste ano. A publicação ainda apresenta indicadores setoriais divididos por estado, o que permite visualizar o andamento do cenário econômico no país.

Índices analisados

Para elaborar o ranking com as maiores empresas do Brasil, as revistas utilizam alguns índices para classificar em quais aspectos cada corporação mais se destacou. Os grupos de análise são definidos com base, por exemplo, em informações sobre receitas de vendas, lucro ou prejuízo, rentabilidade, liquidez, endividamento, crescimento, número de funcionários, valor das exportações, controle acionário e etc.

A Liquidez Geral é um dos principais índices apresentados e a Ruff foi bem classificada nesse quesito. Segundo Rogério Cardoso, Gerente Geral de Negócios da Ruff, esse número “reflete a capacidade da empresa em honrar seus compromissos financeiros”. Ele destaca ainda a importância da avaliação sobre as empresas menos endividadas, pois ela demonstra “a capacidade da empresa em viabilizar suas atividades com Capital próprio.”

Método de avaliação

No caso da Exame, o método utilizado para ranquear as empresas é a comparação entre os resultados, tendo como base para os cálculos um sistema de pontuação que vai de 1 a 10. Os pontos “são multiplicados por um peso atribuído a cada indicador”, afirma o guia das Maiores e Melhores Empresas 2018 da Exame.

A RUFF entre as maiores empresas do Brasil

As listas com os grandes destaques de 2018 no mundo dos negócios são compostas apenas pelas 10 maiores ou 15 melhores empresas de cada segmento. A Ruff é, por mais um ano, um dos principais nomes do setor de Gás e Petróleo. Esse “é um reconhecimento da gestão desenvolvida da organização com seriedade, responsabilidade e padrões de trabalho que através de uma edição como esta revelam o sucesso da empresa”, ressalta Cardoso.

Além de ter se sobressaído nos índices de Liquidez Geral e de empresas menos endividadas, a Ruff também conquistou a 7ª posição entre as melhores do atacado. Para o Gerente Geral de Negócios da Ruff, estar entre as maiores e melhores empresas do Brasil é reflexo da “seriedade, esforço e capacidade de gestão e de manter-se firme em seus propósitos de ter uma empresa saudável e competitiva”.

Os indicadores mostrados tanto pela revista Exame quanto pelo Valor demonstram o potencial da Ruff que, mesmo em um cenário econômico de estagnação, conseguiu ter um bom desempenho dentro do segmento de Petróleo e Gás.   

Você tem alguma dúvida sobre a classificação das Maiores e Melhores empresas do Brasil? Deixe a sua pergunta nos comentários!

 

As responsabilidades ambientais dos postos de combustíveis

As questões relacionadas ao meio ambiente estão muito presentes e difundidas em nosso dia a dia. A importância dos recursos naturais para a sobrevivência do planeta pode até parecer um assunto batido, mas está longe disso. A conscientização sobre a conservação ambiental ainda precisa ser ampliada e fortalecida a fim de desenvolver mais condutas sustentáveis pelo mundo.

A luta deve caminhar em direção ao equilíbrio e à manutenção do ecossistema. Os postos de combustíveis têm um papel fundamental nessa causa, devendo atuar de acordo com normas e resoluções técnicas que visam à conservação do meio ambiente. Você sabe quais são as responsabilidades ambientais dos postos de combustíveis? Confira na matéria!

Normas e resoluções ambientais

Um posto de combustível é um estabelecimento com atividade potencialmente poluidora. Isso se deve ao fato de eles prestarem serviços como: estocagem de combustíveis, lavagem de veículos, troca de óleo, entre outros. Essas são atividades que podem ocasionar impactos ambientais e provocar incêndios.

Devido a esses riscos, é importante que a estrutura física, os procedimentos, a administração e os funcionários de postos sigam algumas regras. Elas são essenciais para minimizar, ou até mesmo eliminar, as chances de poluição e de contaminações decorrentes de processos inadequados.

As responsabilidades ambientais dos postos de combustíveis são estabelecidas por normas legais e resoluções ambientais. Aqueles que não seguirem as regras podem ser penalizados por meio de multas que variam entre 500 e 10 milhões de reais, além de ter o posto interditado.

As principais normas e resoluções são:

  • Resolução CONAMA n. 273, de 29 de novembro de 2000.

  • Lei n. 10.165, de 27 de dezembro de 2000.

  • Norma ABNT NBR 17505-5, de 3 de junho de 2006.

  • Deliberação Normativa COPAM n. 108, de 24 de maio de 2007.

  • Resolução CONAMA n. 420, de 28 de dezembro de 2009.

Além de seguir tais leis, os postos de combustíveis devem possuir um licenciamento ambiental fornecido pelos órgãos seccionais competentes ligados à Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD). A lista de adequações necessárias ainda inclui:

  • Laudo de vistoria do corpo de bombeiros (L.V.C.B.).

  • Laudos das análises dos poços de monitoramento do entorno do Sistema de Armazenamento Subterrâneo de Combustível (SASC).

  • Certificado de coleta.

  • Comprovante de contratação de empresa prestadora de serviço emergencial (EPAE).

  • Certificado de treinamento dos funcionários.

Gestão ambiental

A gestão ambiental é uma prática administrativa abrangente. Ela é utilizada para atender as responsabilidades ambientais dos postos de combustíveis, ajudando-os a utilizar os recursos naturais de maneira racional e eficiente. Portanto, ela é essencial na coordenação de atividades sustentáveis em um posto de combustível, diminuindo o risco de impactos ambientais sem deixar de lado os fatores econômicos.

Uma boa gestão ambiental garante que os postos estejam regularizados perante as leis, tendo condições de realizar planejamentos e de prever problemas. O trabalho de minimização de riscos inclui o treinamento de funcionários, qualificando-os para desempenhar atividades importantes, como: manuseio adequado de produtos, tratamento/descarte correto de resíduos e adoção de medidas preventivas contra acidentes.

No caso de uma má gestão ambiental ou da falta dela, alguns problemas sérios podem ser ocasionados pelos postos de combustíveis. Um exemplo é a contaminação de solos e lençóis freáticos por causa do derramamento ou armazenamento inadequado dos produtos. A lista de danos pode abranger ainda a poluição do ar, o desperdício de água devido ao uso inconsciente na lavagem de automóveis, o descarte irregular de lixos e até incêndios e explosões causados pelo manejo incorreto dos combustíveis.

Sistema de Gestão Integrado da Ruff

A Ruff é uma empresa consciente! Além de atuarmos de acordo com a legislação, nós assumimos responsabilidades sociais. Por essa razão, nós possuímos um Sistema de Gestão Integrado, ou seja, uma política que tem como objetivo avaliar as atividades realizadas pela organização e, a partir delas, propor medidas corretivas ou benéficas para os processos.

Os resultados do Sistema de Gestão Integrado da Ruff de 2017 são positivos. Eles demonstram que houve 0% de ocorrências de derrames de produtos fora da meta e 0% de acidentes com danos ao meio ambiente não recuperados. Outro dado interessante é em relação ao tratamento de resíduos: foram 107 m³ de resíduos líquidos tratados e 8.931 kg de resíduos sólidos. Durante todo o ano, foram realizadas 3.978 verificações preventivas de caminhões e 2.197 motoristas foram treinados para atuar com responsabilidade ambiental.

Ações Ruff

Uma das ações realizadas pela empresa é a coleta seletiva de lixo. Nós aproveitamos os materiais recicláveis para reprocessamento e os convertemos em benefícios a uma entidade de assistência social de Paulínia/SP. Além disso, participamos de um projeto preocupado com a destinação correta de lixo tecnológico. A Ruff ainda apoia a instituição sem fins lucrativos Plante Vida, que visa promover práticas e valores ambientais entre crianças, adolescentes e adultos. Em parceria com o Plante Vida, nós também fazemos a doação de mudas de árvores para o plantio em área rurais e urbanas.

Fiscalização

É importante lembrar, por fim, que as responsabilidades ambientais dos postos de combustíveis são fiscalizadas por órgãos especializados. Essa fiscalização contribui para um mercado concorrencial mais justo e para a preservação do meio ambiente, o que é direito de todo cidadão brasileiro. Nesse sentido, a população também pode colaborar denunciando irregularidades.

Conte para gente nos comentários o que você achou dessa matéria!

Retrospectiva: melhores momentos Ruff 2016

O ano de 2016 foi de muito trabalho e repleto de conquistas importantes para a Ruff. A distribuidora ampliou o número de vendas e se destacou em grandes revistas no setor em que atua. Confira uma breve retrospectiva para relembrar os melhores momentos da empresa nesse ano!

 

Vendas

O volume de vendas da Ruff, cresceu 8% e o número de clientes atendidos 12,5% em comparação ao ano de 2015. O resultado positivo é fruto da consolidação da marca no mercado e do excelente trabalho realizado pelos colaboradores.

 

Treinamento de clientes

A Ruff sabe a importância de investir em seus colaboradores e clientes para o crescimento da marca. Por isso, ao longo de 2016 ofereceu 190 treinamentos aos clientes atingindo 760 colaboradores de postos (gerentes e frentistas).

 

Base de Paulínia

A primeira base da Ruff, inaugurada em 1999, também passou por uma reforma esse ano para garantir a ampliação da sua capacidade operacional. Com estrutura moderna, o espaço atende a todas as normas da legislação, exigidas pelos órgãos ambientais municipais, estaduais e federais.

 

Cuidado com o meio ambiente

A Distribuidora tem uma preocupação permanente com o desenvolvimento sustentável. Somente esse ano, investiu R$1,7 milhões em equipamentos para promover melhorias no meio ambiente.

 

43ª edição do Melhores e Maiores

A Revista Exame apresentou no final do mês de junho, a 43ª edição do Melhores e Maiores, que mostrou o ranking das 500 melhores empresas no ano de 2015.

No Grupo atacado, que engloba as organizações do segmento da Ruff conquistou excelentes posições.

A distribuidora se classificou na 1ª posição do índice de liquidez corrente, que demonstra a saúde financeira das empresas e teve um crescimento de 17, 5% em vendas líquidas. Além disso, utilizou sua visão estratégica de longo prazo e se adaptou as exigências do mercado, ficando entre a relação das empresas menos endividadas e com riqueza relevante criada por empregado.

 

Um excelente 2017

Que no ano de 2017 seja possível alcançar resultados ainda mais positivos. A Ruff agradece a todos os clientes, parceiros e colaboradores que contribuíram para o sucesso em 2016 e deseja um ano novo repleto de realizações e conquistas para todos! 

Sinais de problemas no escapamento do carro

Detectar problemas no sistema de escapamento assim que eles dão os primeiros sinais pode evitar algum dano maior no seu carro e gastos muito altos com o reparo. Confira a seguir quais são os indícios de que seu escapamento está com falhas.


Barulho alto e trepidação

Os componentes que prendem o escapamento na carroceria podem se romper, isso ocasionará barulhos embaixo do carro de peças batendo e até mesmo poderá ser percebida uma trepidação do escapamento. A troca destas peças, geralmente borrachas e coxins, têm um custo baixo quando o problema é detectado a tempo e consertado. Se você deixar o escapamento solto por um período muito longo, outras peças podem ser quebradas e o valor da manutenção ficará mais caro que o esperado.


Odores fortes e diferentes

Caso comece a sentir cheiros muito ácidos ou doces na parte traseira do carro, seu escapamento pode estar com algum furo. Além disso, se sua suspeita for de que gases nocivos estão sendo liberados pelo sistema de escape, procure um mecânico imediatamente para realizar uma inspeção completa em seu carro. Além de causar problemas no automóvel a liberação de gases também pode ser prejudicial para sua família.


Assoalho superaquecido

Se o sistema de escapamento estiver muito próximo ao assoalho do carro, isso ocasionará um superaquecimento do local. O problema está em alguma peça danificada que mudou a altura do escapamento e precisa ser trocada com urgência. Lembre-se de pedir para seu mecânico fazer o alinhamento da nova peça para que o problema não persista.


Muitos ruídos

Furos nos tubos e miolos de silenciadores (traseiro ou intermediário) do escapamento fazem o barulho do carro aumentar muito. O defeito só será solucionado trocando a peça inteira.

Os problemas no sistema de escape podem ser provenientes de muitos fatores, mas o principal deles é o combustível adulterado, que acaba corroendo todo o sistema de escapamento. Por isso, só abasteça em postos de sua confiança. 

Busque no blog: