Blog

5 coisas que você precisa saber sobre abastecer carro flex

Você sabia que a maior parte dos veículos emplacados no Brasil é flex? Em 2003, o país produziu o primeiro modelo que podia ser abastecido com gasolina e etanol: um Gol com motor AP 1.6. Naquele mesmo ano, outras fabricantes passaram a investir na produção de veículos com sistema biocombustível, tornando-se um item padrão nos dias de hoje.

Embora os carros flex já estejam no mercado há mais de 15 anos, ainda existem muitos mitos sobre eles. Além disso, muita gente nos pergunta sobre a melhor forma de abastecer esses automóveis. Aliás, será que existe uma maneira ideal de abastecê-los? Para esclarecer as principais dúvidas, nós reunimos aqui as informações importantes sobre o assunto.

1. Abastecendo pela primeira vez: gasolina ou etanol?

Muita gente por aí costuma dizer que o primeiro abastecimento de um carro flex precisa ser feito com etanol. E mais: que esse combustível deve ser utilizado até o carro completar 500 km rodados. Na verdade, esse é um grande mito! O flex pode ser abastecido, desde a primeira vez, tanto com etanol quanto com gasolina.

Esse tipo de automóvel tem um sensor no escapamento: o sonda lambda. É ele o responsável por reconhecer o combustível utilizado e enviar a informação para a central eletrônica. A partir daí, o motor é ajustado automaticamente para realizar a queima do combustível sem afetar o desempenho do carro.

Então, tanto faz abastecer o carro com gasolina ou etanol!

2. Tanto faz a proporção de etanol e gasolina no tanque

Outra dúvida bastante recorrente é em relação à mistura dos combustíveis. Então, vamos esclarecer essa questão: não importa a proporção de etanol e gasolina no tanque. Você pode misturá-los da forma como bem entender e quando bem entender. Não há restrições, pois a “inteligência” da sonda lambda consegue identificar a quantidade de etanol e gasolina, configurando o motor de forma adequada.

Ah, e há ainda quem afirme que o ideal seja abastecer o automóvel com 50% de gasolina e 50% de etanol. A vantagem disso seria um ganho no desempenho do veículo e uma economia maior para o bolso. Na realidade, isso varia de carro para carro. O motorista precisa fazer essa experiência para verificar se há de fato algum benefício.

3. A regrinha dos 70% pode variar

Quando o assunto é abastecer carro flex, também fala-se muito sobre a regra dos 70%. Para economizar, muitos recomendam verificar se o preço do etanol na bomba equivale a 70% do valor da gasolina. Em caso positivo, abastecer com o combustível derivado da cana seria mais vantajoso.

Hoje em dia, essa regrinha não é tão precisa! Os motores e o etanol já não são mais os mesmos, implicando na variação entre 68 e 75%. Por isso, a dica é fazer as contas! Como? Abasteça com etanol e depois com gasolina e veja quantos quilômetros por litro o carro fez com cada um deles. Se a diferença no consumo for menor ou maior do que 30%, a regrinha dos 70% não é a ideal para você. Nesse caso, vai ser preciso ajustar a porcentagem.

4. O carro poderá precisar de gasolina no inverno

Em dias de baixa temperatura, quando o carro estiver abastecido com etanol, é importante haver gasolina no tanquinho de partida a frio. Sem isso, vai ser difícil fazer o carro funcionar. Lembre-se de que a gasolina não pode estar envelhecida, pois, se estiver, você vai ter problemas para conseguir sair com o carro.

Uma sugestão para a época do frio é sempre manter o tanque com, pelo menos, 10% de gasolina. Isso vai ajudar na hora da partida! A boa notícia é que os automóveis flex mais modernos contam com uma injeção direta de combustível capaz de aquecer o etanol nos dias em que estiver fazendo frio.

5. Etanol e gasolina têm níveis diferentes de poluição

Em comparação com a gasolina, o etanol é um combustível menos poluente. Isso porque ele tem um nível de carbono reduzido, o que equivale a, mais ou menos, 1/3 do da gasolina. Além disso, o etanol não costuma contribuir para a formação de depósitos de carboníferos na câmara de combustão, ou seja, não há o acúmulo de resíduos. É por isso que, geralmente, ele não precisa de aditivos.

Você tem alguma dúvida sobre o abastecimento de carro flex? Deixe a sua questão nos comentários!

 

Busque no blog: