Blog

O que rolou no Rally dos Sertões 2018

A última edição do Rally dos Sertões deixou a sua marca nas estradas de Goiás, Bahia, Piauí e Ceará. A competição contou com a estreia do piloto Edson Di Nole, que fez bonito e conquistou a quarta posição na categoria Production T2. Nesta matéria, nós contamos para você todos os detalhes desse grande evento e como foi para Di Nole realizar o sonho de participar do rali.

Desbravando o Rally dos Sertões

A história do Rally dos Sertões começou em 1991 e, ao longos desses anos, ele se consolidou como um dos maiores e mais importantes ralis realizados no Brasil. O nome da competição é uma referência a uma das grandes obras literárias do Brasil: Os Sertões, de Guimarães Rosa.

Todos os anos, essa aventura repleta de poeira, lama e velocidade corta paisagens de tirar o fôlego e cruza caminhos compostos por realidades culturais e sociais bastantes diversas do nosso país. As mais de 25 edições do Rally dos Sertões já passaram por centenas de cidades de todas as regiões brasileiras e a maior parte das largadas foi dada na cidade Goiânia (GO).

No Rally dos Sertões 2018, realizado do dia 18 a 25 de agosto, os competidores percorreram mais de 3,6 quilômetros entre a capital goiana e Fortaleza (CE). De um ponto ao outro, o roteiro incluiu oito paradas em cidades de Goiás, da Bahia, do Piauí e do Ceará. As paisagens áridas e lamacentas do trajeto dividiram espaço com automóveis, motos, quadriciclos e UTVs.

A estreia de Di Nole no Rally

A Ruff marcou presença no Rally dos Sertões 2018 ao lado de Edson Di Nole, piloto com mais de 30 anos de experiência no automobilismo. A carreira dele é marcada por diversas vitórias, incluindo a atual liderança na categoria ASX RS da Mitsubishi Cup e o título de bicampeão entre os UTVs.

Neste ano, Di Nole estreou no Rally dos Sertões e, para ele, participar dessa competição foi uma grande realização pessoal. “Era o sonho da minha vida correr o Rally dos Sertões. Abri mão de muita coisa para isso. Fiz um monte de loucuras para isso”, afirma o competidor.

Di Nole caiu na estrada a bordo de um Suzuki Jimny e ao lado de seu navegador Vilson Agudinho para disputar a categoria Production T2, uma modalidade composta por carros movidos a gasolina, etanol ou diesel, mas que devem utilizar restritor de ar com admissões especificas para carros aspirados e turbinados. 

Na estrada

Nas primeiras etapas da competição, entre Goiânia e Posse (GO), Di Nole desbravou trechos de areia com piçarra e áreas travadas, incluindo estradas com muitos mata-burros e zonas agrícolas com longas retas. Na terceira etapa, o piloto percorreu 350 quilômetros até Luís Eduardo Magalhães (BA), onde, ao final do dia, conquistou o terceiro lugar na categoria Production T2.

Durante os primeiros dias de competição, Di Nole afirmou ter se surpreendido com os desafios. “O Rally dos Sertões é muito desgastante. Eu não imaginava a dificuldade das especiais, das distâncias. A gente precisa estar muito bem preparado, inclusive psicologicamente, o calor é extremo e desgastante. É sofrido porque nós mesmos estamos fazendo a manutenção. Chegamos a trabalhar no carro até às 4h da manhã e dormir apenas duas horas para largar no dia seguinte, mas é um sonho que estou realizando”, relata o piloto.

Quando Di Nole e Aduginho chegaram à cidade de Barra (BA), na quarta etapa, mantiveram a terceira posição. No dia seguinte, caíram na estrada em direção ao Piauí, enfrentando caminhos cheios de erosões, pedras e depressões. O piloto contornou a dificuldade do trecho e garantiu a permanência no terceiro lugar.

Na penúltima etapa, os competidores seguiram por mais 602 quilômetros de São Raimundo Nonato (PI) até Juazeiro do Norte (CE), onde acabaram caindo para a quarta colocação. No último dia de Rally dos Sertões, Di Nole chegou a Fortaleza após mais de 3,6 mil quilômetros de muita aventura. Ele encerrou a prova em terceiro lugar na categoria Production T2, mas uma penalidade fez com que ele fosse rebaixado para a quarta posição.

A Praia de Iracema, em Fortaleza, foi endereço da festa de encerramento do Rally do Sertões e de comemoração da conquista do Edson Di Nole. “Eu queria muito agradecer o apoio da Ruff Combustíveis por sempre acreditar no nosso potencial e por vários anos ser nosso patrocinador. Terminamos o Rally dos Sertões em quarto lugar na categoria Production T2 e eu queria dedicar essa conquista a toda a família Ruff, por sempre acreditar na gente e nos fornecer o melhor combustível, como diz seu slogan é ‘Energia para Superação’”, declara Di Nole.

Você é fã do Rally dos Sertões? Então, compartilhe está matéria nas redes sociais!

 

Busque no blog: