Blog

Selecionados Ruff: Chevrolet Bel Air

O Chevrolet Bel Air marcou o período dos Anos Dourados nos Estados Unidos, na década de 1950. Ele virou um dos símbolos da época e foi responsável por aumentar significativamente as vendas da Chevrolet, fazendo com que com ela ultrapassasse a Ford. Nesta matéria, nós contamos a história e as razões que levaram o Bel Air a se tornar um automóvel tão famoso e cobiçado por muitos até os dias de hoje.

Os primeiros modelos

O Chevrolet Bel Air começou a ser fabricado em 1950. Em sua primeira versão, ele já chamava a atenção com suas linhas curvas e o seu tamanho imponente. O Bel HairHardtop foi o primeiro modelo a ser lançado. Ele surgiu com um estilo diferenciado que influenciou a indústria automobilística norte-americana durante toda a década.

Em 1953, o Bel Air foi modificado pela Chevrolet e ganhou um novo status, tornando-se um modelo de nível superior. A partir de 1955, era possível encontrar versões equipadas com motor V8 e ainda mais luxuosas, com carpetes, acessórios cromados e calotas personalizadas. Mas, nada chamava mais a atenção do que o seu nome escrito em letras douradas e os para-lamas rabo-de-peixe. Isso fazia dele um carro inconfundível!

Além de todo o estilo e charme, o que tornou esse carro tão desejado? Bem, o custo/benefício foi um dos principais motivos que levaram o veículo a se popularizar em poucos anos. Tratava-se de um automóvel com uma estrutura de boa qualidade para a época e que custava relativamente pouco. Além disso, o período era de pós-guerra e os Estados Unidos estavam vivendo uma fase próspera, o que contribuiu para o sucesso das vendas.

Chevrolet Bel Air 1957

O Chevrolet Bel Air 1957 é o modelo que mais vendeu. Hoje, ele é a principal referência automobilística daquele período nos Estados Unidos e uma relíquia para muitos colecionadores e apaixonados por carros antigos. A versão de 1957 ganhou tanta visibilidade por contar com dimensões ainda maiores. Ele tinha pouco mais de 5 metros de comprimento, 1 metro e 85 centímetros de largura e 1 metro e 50 centímetros de altura.  

A imponência do modelo de 1957 ficava ainda por conta de sua cauda e de seus acabamentos cromados. Em relação à parte técnica, esse Bel Air tinha injeção mecânica, motor de 6 a 8 cilindros e 283 cavalos. Na versão manual, ele era fabricado com 3 marchas e, na automática, com 2 ou 3. A velocidade máxima alcançada também não decepcionava, chegando a até 193 km/h.

Os últimos anos

O auge do Chevrolet Bel Air foi mesmo em 1957. Um ano mais tarde, a empresa já tinha vendido mais de 1,5 milhão de unidades. No entanto, ele foi ficando ultrapassado e esse número parou de crescer com a mesma intensidade. O modelo de 1958 ainda foi produzido como top de linha, mas ele perdeu lugar para o Impala em 1959.

Durante toda a década de 1960, o Bel Air permaneceu com o status de carro mediano. Já em 1972, ele foi transformado em um modelo de baixo padrão. O seu fim já estava próximo!  Três anos mais tarde, a Chevrolet dos Estados Unidos parou de fabricá-lo. A história desse carro que marcou geração ainda continuou por mais algum tempo no Canadá. Lá, a Chevrolet só produziu as últimas unidades do carro em 1981.

Você também é um apaixonado por carros clássicos? Então, conte para a gente nos comentários a sua opinião sobre o Chevrolet Bel Air.

 

Busque no blog: